"Se o resultado for negativo, não teremos atingido um objetivo, mas estaremos fortalecidos", disse o treinador

O Palmeiras colocou a Série B como principal objetivo em 2013 e, respeitando cada adversário, conquistou-a com facilidade. Neste ano, a primeira prioridade é conquistar o Campeonato Paulista. Apostando na manutenção do espírito visto na última temporada, Gilson Kleina confia que administrará até as consequências caso o time perca do Santos neste domingo.

"Se vier um resultado positivo, teremos atingido o objetivo de ficar em primeiro lugar no geral e não tem como não vir com moral depois de vitória em clássico. Se o resultado for negativo, não teremos atingido um objetivo, mas estaremos fortalecidos. Não vamos abrir mão de focar os jogos e ir à final com respeito aos adversários. Se vier um revés, precisamos assimilar rapidamente o golpe porque começarão as decisões", declarou.

Leia mais: Santos x Palmeiras: melhor ataque tenta furar defesa mais eficiente

O clássico na Vila Belmiro é esperado com ansiedade há semanas no clube. Se empatar, o Verdão garante a manutenção da melhor campanha da primeira fase do Campeonato Paulista até as quartas de final. Se vencer, não será possível que nenhum time ultrapasse sua pontuação até a final, assegurando, assim, a disputa de todos os jogos decisivos no Pacaembu.

Classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Paulista

Essa é a missão dada por Kleina e bem encarada por seus comandados. "No ano passado, tivemos muitas dificuldades para fazer o plantel para Paulista e Libertadores, mas planejamento o plantel da Série B, nos programamos para ganhá-la e, faltando oito rodadas, já estávamos na Série A. Esse espírito da Série B continua encorpado porque sabemos da nossa responsabilidade", lembrou o técnico.

Mantendo a filosofia de respeito, não se cogita no Palmeiras pensar em perder no domingo para diminuir a possibilidade de encontrar o São Paulo nas semifinais. "Seremos favoritos se mantivermos regularidade, entrega e pegada, fazer prevalecer em jogos difíceis a nossa qualidade. Se apertarmos o piloto automático e acharmos que tudo fluirá naturalmente, estaremos fadados ao fracasso. Não é assim que funciona", ensinou Kleina.

"Claro que clássico e equipes de ponta são difíceis, mas temos que encarar a realidade. Não tem como fugir dos grandes jogos e não existe certeza de que seremos competentes contra Bragantino ou Rio Claro. Não adianta focar na semifinal se não formos eficientes nas quartas de final, quando enfrentaremos alguma equipe valente do interior que virá babando para ir bem em um jogo só. Tudo pode acontecer", prosseguiu.

Por isso, pensando no jogo a jogo, é foco no confronto em Santos. E confiança no que foi feito até agora. "Três dias depois do clássico, começa outra competição, com mata-mata em um jogo só. Você precisa ser copeiro, errar o menos possível e sem perder as características da nossa grande campanha", indicou Kleina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.