Segundo o técnico Seedorf, a cobrança no encontro não foi excessiva e a fase do time realmente merece os protestos

A crise rossonera chegou ao ápice no último domingo. Após a goleada em casa sofrida para o Parma , a torcida se revoltou e protestou contra a péssima fase do Milan. A insatisfação resultou em uma "conversa" entre líderes da torcida e alguns jogadores do elenco. Kaká, Balotelli, Bonera, Abate e o técnico Seedorf foram os responsáveis por dar explicações sobre o momento do time.

Confira a classificação do Campeonato Italiano

Kaká e Balotelli, jogadores do Milan
Getty Images/Claudio Villa
Kaká e Balotelli, jogadores do Milan

A manifestação contra os maus resultados teve início antes da partida contra o Parma, nos arredores do Giuseppe Meazza, mas ganhou amplas proporções após o revés por 4 a 2. De acordo com o jornal italiano Sky Sport , o atacante Balotelli pediu desculpas aos torcedores e prometeu maior dedicação nas próximas rodadas. Segundo Seedorf, a cobrança no encontro não foi excessiva e a fase do time realmente merece os protestos.

"Foi uma coisa pacífica. Temos que trabalhar muito e sair dessa situação. Quero continuar acreditando que podemos reverter isso e terminar a temporada da melhor forma possível", planeja o treinador. "Você pode ver o trabalho que carrego todos os dias. Tenho que aprender um monte de coisas, mas eu também sei que estão certos", pondera.

Com três derrotas seguidas no Campeonato Italiano, o Milan ocupa a modesta 11ª colocação e está tão perto de uma vaga em competições internacionais na próxima temporada quanto do rebaixamento - 12 pontos. Na Liga dos Campeões, o time rossonero foi goleado por 4 a 1 e eliminado pelo Atlético de Madrid na última semana. Assim, o time italiano vive sequência negativa de quatro jogos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.