Jogadores acabaram fora da partida contra o Independiente del Valle na Libertadores, e o time carioca perdeu por 2 a 1

Eduardo Hungaro, técnico do Botafogo
Luciano Belford/SSPress
Eduardo Hungaro, técnico do Botafogo

Com 29 minutos do segundo tempo o Botafogo , após a expulsão de Bolívar, também perdeu Edílson, que reclamou veementemente com o árbitro peruano Manuel Garay. As duas baixas foram determinantes para a derrota carioca em Sangolquí-EQU, diante do Independiente del Valle , pelo placar de 2 a 1, em partida válida pela terceira rodada da Copa Libertadores da América, que se encontra na fase de grupos.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

Quando questionado sobre o cartão vermelho de Edílson, bastante cobrado durante a primeira etapa, principalmente no quesito profundidade, o técnico botafoguense Eduardo Hungaro ressaltou os erros de arbitragem, mas também planejou uma conversa com o defensor: "Com ele eu ainda preciso conversar. Creio que foi uma reclamação. Se sim, precisamos dialogar. Isso não pode acontecer", enfatizou.

Adiante, o comandante do clube da estrela solitária fez questão de comentar o lance que rendeu o segundo cartão amarelo de Bolívar: "Foi outra coisa. Ele precisou fazer a falta pois era o último homem. Não vejo como ausência de experiência. Não cabia outro recurso", exprimiu.

O novo embate contra o clube equatoriano, que inaugura o segundo turno da fase de grupos, ocorre na próxima terça-feira, às 22 horas (de Brasília), no estádio do Maracanã.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.