Na estreia da Copa do Brasil, time do Palestra Itália encara o Vilhena em Rondônia

Fernando Prass, goleiro do Palmeiras
Leandro Martins/Futura Press
Fernando Prass, goleiro do Palmeiras

Campeão da Copa do Brasil pelo Vasco em 2011, Fernando Prass usa a experiência para lembrar que o torneio sempre tem um time pequeno superando um grande. Como capitão, já faz um alerta para que o Palmeiras não seja surpreendido pelo Vilhena, rival da estreia nesta quarta-feira.

"Já estamos calejados na Copa do Brasil, todo ano tem uma surpresa. E não podemos ser essa surpresa", disse o goleiro à rádio Globo , recomendando cuidado com a possibilidade de eliminar o jogo de volta.

O veterano não quer que o Palmeiras considere fácil vencer o campeão rondoniense por, ao menos, dois gols de diferença para já se garantir na segunda fase. "Primeiro, temos que passar de fase. Existe um regulamento e vamos ver dentro do jogo se dá para aproveitá-lo, mas respeitando muito o adversário."

Como líder do elenco, Fernando Prass também faz questão de minimizar as condições do Portal da Amazônia, estádio que receberá a partida. O time só tem ouvido maus comentários e, mesmo assim, não deve usar os problemas estruturais como desculpa.

"É sempre bom jogar em campo bom para quem joga mais, todos gostam e todos ganham, já que o espetáculo melhora. Muitas vezes, não é possível. Então, não temos que reclamar, mas nos adaptar", indicou o camisa 25.

O Palmeiras treinou na tarde desta terça-feira em Cuiabá e embarca para Vilhena nesta noite. O time encara a equipe local às 19h30 (de Brasília) de quarta-feira no Portal da Amazônia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.