Meia viu o Corinthians ser derrotado pelo seu ex-time São Paulo e ficar em situação complicada no Paulistão

Novo xodó da Fiel, Jadson foi ao Pacaembu neste domingo para assistir à derrota por 3 a 2 de seus companheiros no clássico contra o São Paulo. O meia ainda surpreendeu, rejeitou inicialmente a área VIP e optou pela arquibancada verde, setor mais popular do estádio paulistano.

Antonio Carlos faz contra duas vezes, mas São Paulo vira e complica Corinthians

Atraindo a atenção de centenas de torcedores, o jogador chegou aos 20 minutos, quando a partida já estava 1 a 0 para o Corinthians, mas pouco conseguiu ver no duelo entre Corinthians e São Paulo. Boa parte da torcida o cercou, pedindo fotos e autógrafos.

Acompanhado do filho de seis anos e de seu assessor de imprensa, Jadson foi obrigado, devido ao assédio dos torcedores, a ir a outro local do Pacaembu. O meia do Corinthians assistiu ao restante da partida da área VIP do estádio.

Jadson não esteve à disposição de Mano Menezes por uma exigência contratual da troca envolvendo Alexandre Pato. Segundo o acordo, os jogadores não podem atuar contra seu antigo time, a menos que o clube pague uma multa de R$ 1 milhão.

Mano sente falta de Jadson

Após a derrota no clássico contra o São Paulo por 3 a 2 pelo Paulistão neste domingo, o técnico Mano Menezes reconheceu que o time sentiu falta de Jadson. Por força de contrato, o meia, emprestado pelo Tricolor, nâo pôde atuar pelo Corinthians por força de contrato. O técnico também explicou que sacou Renato Augusto ainda no intervalo para voltar com uma equipe mais incisiva.

"Tivemos mais dificuldade para jogar no clássico com a ausência do Jadson. A equipe não encontrou a mecânica necessária para se completar, porque a gente vem trabalhando com marcação forte e a gente precisa de um homem de passagem dinâmico, o que não tinha. A troca (de Renato Augusto por Guerrero, no intervalo) foi para deixar o time mais agudo em cima dos laterais do São Paulo", comentou Mano.

Um dos personagens do terceiro gol são-paulino, o lateral direito Uendel foi defendido pelo técnico do Corinthians. O lance que deu a vitória ao Tricolor aconteceu em um cabeceio de Rodrigo Caio no setor esquerdo, coberto pelo corintiano. Para Mano, a responsabilidade maior era dos jogadores do lado direito, que deram espaço para cruzamentos durante toda a partida.

"Era uma jogada que estava desenhada para acontecer. Em várias oportunidades o São Paulo fez o cruzamento da direita. Em uma delas, o Luciano tirou com a ponta da chuteira dentro da área, já era um lance de perigo. Até que sofremos o gol. Rodrigo Caio é um exímio cabeceador e é uma bola difícil para o lateral na inversão, ela não pode sair toda hora de lá. Nós estávamos demorando a pressionar. Às vezes a gente cobra do jogador errado. O Uendel fez um bom clássico e essa cobrança não pode cair sobre ele", disse o treinador.

Mano Menezes afirmou que a classificação ainda é possível, mas que agora o Corinthians será obrigado a vencer os dois jogos restantes do Campeonato Paulista. O técnico também pediu a mesma postura que o time teve na última sequência de vitórias, quebrada pelo São Paulo neste domingo.

"A classificação ainda está em nosso alcance, mas somos obrigados a vencer as duas partidas. Se tivéssemos vencido hoje, jogaríamos por uma vitória nas partidas finais. O que nos daria uma margem de tranquilidade maior. A nossa postura nesses jogos precisa ser a mesma que tivemos nos jogos antes do clássico", analisou.

O técnico também comentou sobre a lesão de Paolo Guerrero. Segundo o médico Guilherme Runco, o atacante peruano deve desfalcar o Corinthians por pelo menos um mês.

"Lesões fazem parte de uma temporada. Já jogamos sem Paolo, a gente sente, mas sempre falo que técnico valoriza quem está. E neste momento já estou pensando me quem está para jogar domingo que vem em Penápolis", adiantou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.