Robert está respondendo bem ao tratamento, e médicos ainda discutem a necessidade de operar o maxilar dele

O estado de saúde do jovem Robert, de 17 anos, uma das principais promessas do Fluminense, é considerado bom. Exames detalhados descataram lesões no pescoço e na coluna do atleta que sofreu um grave acidente na madrugada da última terça-feira, em Rio das Ostras, região dos Lagos, no Rio de Janeiro. 

Internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital particular da zona oeste do Rio de Janeiro, o garoto está respondendo bem ao tratamento e anima aos médicos resposáveis.  Acompanhado pelos pais, Robert se recupera de torções nos pés, luxação em um dos braços e o inchaço nos olhos por causa da forte pancada no momento do acidente.

Os médicos ainda estudam a necessidade de uma cirurgia no maxilar de Robert, que também sofreu um trauma crânio-encefálico - lesão que poderia acarretar uma fratura mais grave no pescoço e na coluna. O jogador já consegue falar algumas frases e recebe alimentação normal.

Ciente do problema com o atleta, o treinador Renato Gaúcho se manifestou sobre o caso e aproveitou a ocasião para cobrar uma postura diferente da diretoria do Fluminense. De acordo com o comandante, os jogadores mais novos precisam morar mais perto do clube, já que apenas os conselhos não são suficientes para deixá-los com mais maturidade nas noites cariocas.

"Eu falo muitas vezes para diretoria, para os jogadores: eles precisam morar perto do clube. Não adianta falar que é garoto porque não está ganhando bem, porque ganha bem. Infelizmente, eu sempre aconselho os garotos. Não querem escutar os conselhos, aí quem está com eles tem o chopinho pago, a entrada da boate, não tem responsabilidades. Estamos cansados de dar conselhos. O jogador que joga em clube grande precisa ter responsabilidade", alertou Renato.

* Com Gazeta Esportiva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.