Tamanho do texto

Time venceu rival do interior e ficou perto da classificação, mas resultado não veio facilmente

O Atlético-MG não teve vida fácil na partida diante da Caldense, mas conseguiu sair do Independência com o resultado positivo. O lateral-direito Marcos Rocha admite que o time de Poços de Caldas deu muito trabalho aos anfitrões, que segundo o atleta, pecaram ao não caprichar mais nas jogadas criadas.

No Horto, Atlético-MG supera Caldense e fica próximo da classificação

"Jogo difícil. No primeiro tempo a equipe deles correu bastante, perdiam a bola e voltavam todos para ficar atrás da linha da bola, bem fechados. Mas a gente teve paciência, trabalhou bem a bola e as possibilidades que a gente teve conseguimos fazer o gol. Faltou um pouco de capricho no último passe para conseguir fazer um placar amplo", avaliou.

Ronaldinho Gaúcho em disputa de bola com Andrézinho, da Caldense, no duelo entre as duas equipes pelo Campeonato Mineiro
Gazeta Press
Ronaldinho Gaúcho em disputa de bola com Andrézinho, da Caldense, no duelo entre as duas equipes pelo Campeonato Mineiro

O panorama da partida só passou a ser favorável após a entrada do atacante Neto Berola, autor do segundo gol alvinegro, que deu tranquilidade ao time atleticano. Berola aproveitou cruzamento de Tardelli, e balançou as redes de letra, gol que dá confiança ao jogador, que garante que tem trabalhado para ganhar espaço no time titular.

"É bom você ter a confiança do treinador, da torcida, de todos, porque você entra mais leva nas partidas e consegue ajudar. Todas as vezes que tenho entrada tenho conseguido ajudar a equipe. Eu venho sempre brigando por vaga, mas vamos deixar bem claro que os jogadores que vem jogando, Fernandinho e Diego (Tardelli) são grandes jogadores, mas eu venho buscando meu espaço", declarou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.