Requisitada principalmente pelos asiáticos, medida já vinha sendo estudada há pelo menos dois anos

Após reunião da IFAB (International Football Association Board) neste sábado, na Fifa, ficou decidido que turbantes e véus poderão ser usados pelos jogadores a partir de agora. A medida, requisitada principalmente pelos asiáticos, já vinha sendo estudada há pelo menos dois anos.

No entanto, os atletas terão que seguir as exigências da entidade máxima do futebol. Os adereços na cabeça precisam ter relação com o uniforme - cor, por exemplo - e também não podem ser perigosos para os adversários. A Fifa entendeu que não havia justificação para esta proibição.Outros temas foram debatidos na reunião deste sábado. As mensagens contidas nas camisas e em outras partes do equipamento deverão acarretar em punição mais severa, fazendo com que seu uso seja totalmente interrompido.

A Fifa não tinha flexibilidade com as divulgações com teores político, religioso ou publicitário. "A IFAB aprovou o esclarecimento a fim de implementar uma abordagem mais consistente e fácil de regulamentar", lia-se no comunicado oficial emitido pelo órgão.

Com relação ao uso de tecnologia como auxílio aos árbitros, a IFAB se manteve resistente. Os conselheiros ainda acham que replays , por exemplo, só precisam ser usados com relação à linha do gol. "Existe preocupação de que replays retardem as partidas ou aumente o número de interrupções", justificou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.