Segundo pesquisa, Corinthians, Palmeiras, Vasco e São Paulo foram os mais prejudicados com a perda de mando de jogos

Os casos de violência no futebol que aconteceram recentemente já começam a ter reflexos nos clubes que tiveram seus torcedores envolvidos em confusões. De acordo com um levantamento elaborado pela Trevisan Gestão Esporte, as equipes deixaram de lucrar o equivalente a mais de R$ 3 milhões por ter de transferir seus jogos para longe de seus estádios. Corinthians, Palmeiras, Vasco e São Paulo foram os mais prejudicados.

Leia também : Juiz amplia proibição, e organizada do Vasco não irá a nenhum evento esportivo

Confusão na arquibancada do Morumbi no clássico São Paulo x Corinthians pelo Brasileirão
Miguel Schincariol/Gazeta Press
Confusão na arquibancada do Morumbi no clássico São Paulo x Corinthians pelo Brasileirão

Levando em consideração o Brasileirão e a Série B, a pesquisa mostra que o Corinthians foi o maior prejudicado na elite do futebol brasileiro. O clube registrou a despesa de R$ 1.795 milhões - uma porcentagem de 16% de perda - uma vez que perdeu público e renda jogando em outros estádios.

No ano passado, torcedores do Corinthians e Vasco brigaram nas arquibancadas do estádio Mané Garrincha, em Brasília. A atitude indevida protagonizada pelos vândalos foi julgada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), que puniu os clubes com a perda de mando quatro jogos. O Vasco, inclusive, entra no ranking dos clubes que mais acumularam gastos, com o total de R$ 664,4 mil (19%).

“Esse montante se amplia se considerarmos que nas partidas com punição o valor dos ingressos foi reduzido, e somarmos a isso as perdas com outros itens do dia de jogo, como alimentos e bebidas, compras de produtos, visitas, etc. Nas brigas envolvendo torcedores, os clubes foram os grandes e, talvez, os únicos, de fato, punidos”, analisa o pesquisador Gabriel Leiva.

O segundo maior prejudicado foi o Palmeiras, que deixou de contabilizar mais R$ 1 milhão. Das 14 partidas que disputou no Pacaembu, obteve média de público de 27.979 pagantes, registrando uma queda de 48% nos jogos com punição com 14.535 pagantes. O clube ainda deixou de arrecadar 60% da bilheteria.

Em outubro, quando o time ainda disputava a Série B do Campeonato Brasileiro, o iG Esporte mostrou que atuar longe do Pacaembu interferia diretamente nos cofres do Palmeiras . À época, o clube foi punido com a perda de dois mandos de campo, por causa de uma briga entre torcidas organizadas na partida contra o Guaratinguetá, em julho.

O São Paulo também teve dois jogos de punição no Brasileiro e alterou os jogos para Itu, no interior de São Paulo. No Morumbi, a média de público do time era de 24.380 pagantes, com arrecadação de R$ 207,3 mil por partida, já com as restrições os números caíram para 12.428 e R$ 31,9 mil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.