Atacante marcou no fim e garantiu mais uma vitória do líder do grupo D do Paulistão, com 23 pontos

Alan Kardec domina a bola em ataque do Palmeiras
Djalma Vassão/Gazeta Press
Alan Kardec domina a bola em ataque do Palmeiras

Alan Kardec, mais uma vez, chamou atenção no Palmeiras nesta quarta-feira. O atacante salvou uma apática atuação diante do Ituano, marcou o gol da vitória por 1 a 0 aos 43 minutos do segundo tempo e, pouco depois, saiu mais cedo do gramado do Pacaembu ao ser expulso por se desentender com Jackson.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

O centroavante se firmou como artilheiro e principal jogador do time no Campeonato Paulista ao aproveitar a superioridade numérica. Aos 33 minutos, seis depois de sair do banco de reservas, o estreante Bruno César recebeu falta que gerou a expulsão do lateral esquerdo Dener. Dez minutos depois, Alan Kardec virou o nome do jogo batendo forte da entrada da pequena área.

O Verdão permanece na liderança do grupo D do Campeonato Paulista, agora com 23 pontos, assim como o Rubro-negro de Itu segue vice-líder do grupo B, com 15 pontos. O Palmeiras, em busca dos três pontos que Gilson Kleina acredita faltar para garantir a vaga, volta a campo no domingo, quando enfrenta o Botafogo, em Ribeirão Preto, às 18h30 (de Brasília). No mesmo horário, mas no sábado, o Ituano visita o Mogi Mirim.


O jogo - Das quatro mudanças feitas por Gilson Kleina no time, o Palmeiras sentiu real falta de um desfalque: Wesley, poupado por desgastes muscular. Sem o volante, o time ficou sem dinâmica na saída de bola, já que o estreante Josimar não tem entrosamento para trabalhar da mesma forma.

Em relação aos outros substitutos, França cumpria a função de Marcelo Oliveira, recuado para ocupar a vaga de Wellington na zaga, com pouco trabalho na marcação na grande área e subindo sem correr riscos. Diogo se mexia para suprir a falta do suspenso Leandro, mas a armação ficava falha com Mendieta, no lugar de Valdivia, se mostrando à vontade entre oponentes, sem buscar a bola.

A equipe estava amarrada no meio-campo porque Josimar não se aproximava para facilitar o trabalho dos meias, ajudando o Ituano, que rapidamente encaixou jogadores no vão na intermediária antes de se espalhar em campo para se aproveitar da pouca inspiração palmeirense, mantendo a posse de bola.

A saída poderia ser pelas laterais, mas Juninho, como de costume, jogou mal mais uma vez, assim como Mazinho. O lateral e o meia seguem beneficiados pela ausência do Palestra Itália, estádio que deixa torcida (e críticos) mais próximos. Wendel, por sua vez, errou quase tudo que tentou pela direita.

Jogador mais festejado no anúncio dos titulares, Alan Kardec começou a partida vindo buscar a bola na defesa, mas mesmo um atleta cotado para a Seleção Brasileira não tem condição física para tanto esforço. Até o Ituano entender que poderia surpreender, o que se viu no Pacaembu foi um jogo bastante sonolento.

Apenas raros cruzamentos cortados pela zaga do interior na pequena área deram alguma esperança ao público presente no primeiro tempo. Além de um lance no qual Lúcio, impedido, cabeceou nas mãos do goleiro adversário e para fora. O grande lance da etapa surgiu para o visitante.

Aos 37 minutos, Lúcio não conseguiu cortar e Cristian, meia que passou pelo Palmeiras na década passada, surgiu livre, na cara de Fernando Prass. A sorte do Verdão é que o goleiro fez com o jogador o mesmo que já tinha executado no Derby de domingo diante de Guerrero e Romarinho: operou um milagre para manter o 0 a 0.

No intervalo, Kleina, enfim, mostrou que, como os torcedores, se cansou de Mazinho e trocou o meia por Marquinhos Gabriel. Mas não bastava mudar peças, e o Verdão saiu do vestiário ciente disso. Com menos de dois minutos do segundo tempo, o time já tinha feito mais do que nos 46 da etapa anterior.

Pouco após a saída de bola, Alan Kardec deixou Juninho na cara do goleiro Vagner, que executou seu milagre e, na cobrança de escanteio, virou protagonista de novo ao defender um forte chute disparado por Lúcio da pequena área. A impressão era de que o time de melhor campanha no Paulista acordou.

Mas foi só impressão. Os minutos seguintes à blitz palmeirense foram de espaço para o Ituano ousar e jogar tranquilamente no campo do Verdão, que continuava sem bola e agora encarava um adversário que a tocava com mais velocidade. Só faltava qualidade para os visitantes, ao menos, darem trabalho a Fernando Prass acertando chutes no gol.

Até que o Palmeiras se cansou de ser pressionado em casa, adiantou sua marcação e inverteu as condições do jogo, passando a ocupar fixamente o campo adversário. Mendieta continuava escondido, mas Marquinhos Gabriel dava mobilidade para se alternar com Diogo e, assim, aproveitar melhor a força física de Wendel. Faltava ainda, porém, alguém que vencesse o paredão rubro-negro na grande área para encontrar Alan Kardec.

Pela esquerda, Juninho teve outra chance em bobeira de Vagner, que deu a bola nos pés de Mendieta e o meia a entregou para o lateral consagrar o goleiro de novo, aos 20 minutos. Dois minutos depois, Vagner evitou gol de Lúcio após cobrança de falta ensaiada com Juninho. Mas já era tempo suficiente para as vaias e xingamentos a Gilson Kleina e seus comandados de torcedores impacientes com a falta de futebol.

Aos 27, o técnico atendeu aos pedidos e abriu o time, promovendo a estreia de Bruno César no lugar do volante Josimar. A mobilidade aumentou a ponto de Wendel não fazer seu primeiro gol no clube por ter caprichado demais na pequena área. Estava claro, contudo, o cansaço do Rubro-negro.

E Bruno César soube ajudar. Aos 33 minutos, o meia arrancou e só foi parado por carrinho do lateral esquerdo Dener, que já tinha cartão amarelo e deixou o Ituano com um a menos. Entretanto, foram os visitantes que cresceram, com Jean Carlos e Rafael Silva obrigando Prass a intervir com excelência de novo.

Mas a qualidade que faltava no Ituano sobrava no principal jogador do Palmeiras no centenário. Aos 43 minutos, Alan Kardec, bem posicionado, dominou cruzamento perto da pequena área e soltou a bomba para mostrar porque é o artilheiro e a grande esperança do clube neste Campeonato Paulista. Dois minutos depois, foi expulso por se desentender com Jackson, mas já tinha decidido o jogo.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 0 ITUANO

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 19 de fevereiro de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Rogerio Pablos Zanardo e Gustavo Rodrigues de Oliveira (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Leonardo Ferreira Lima e Flavio Rodrigues de Souza (ambos de SP)
Cartões Amarelos: Josa, Dick (Ituano) e França (Palmeiras)
Cartão Vermelho: Alan Kardec (Palmeiras, Dener e Jackson Caucaia (Ituano)
Gol: PALMEIRAS: Alan Kardec, aos 42 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e Juninho; França (Eguren), Josimar (Bruno César), Mendieta e Mazinho (Marquinhos Gabriel); Diogo e Alan Kardec
Técnico: Gilson Kleina

ITUANO: Vagner; Dick, Alemão, Anderson Salles e Dener; Josa, Paulinho (Gercimar), Jackson Caucaia, Esquerdinha e Cristian (Jean Carlos); Rafael Silva (Túlio Renan)
Técnico : Doriva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.