Tamanho do texto

Com seis vitórias e dois empates, time do Palestra Itália é o melhor do Estadual após oito rodadas

Mesmo com dois empates seguidos, o Palmeiras tem a melhor campanha no Campeonato Paulista, já que venceu os seis primeiros jogos. A explicação para a invencibilidade e os números é a sintonia entre Gilson Kleina e seus comandados. Após descartar o argentino Marcelo Bielsa por falta de dinheiro e consultar outros nomes, a diretoria colhe os frutos da renovação com o técnico.

"Ele está conosco há um tempo, nos conhecemos. Buscávamos um elenco desde quando terminou a Série B e hoje temos um elenco. Isso ajuda muito na hora da substituição", comentou o diretor executivo José Carlos Brunoro. Mas os jogadores avisam que não basta ter opções se não souber usar como Kleinar tem feito.

"Neste ano, quando o Kleina perde um jogador, faz as trocas e pode colocar alguém mais fresco, com outra característica, mudar o sistema do jogo, não só uma reposição. Mas não adianta um grupo muito bom e o treinador não tirar o suficiente e o contrário também. O Gilson monta o time como acha melhor, passa e tentamos fazer o que ele manda ao máximo", disse o capitão Fernando Prass.

"Temos entrosamento no grupo. Acreditamos no que o treinador faz, compramos a sua ideia e ele tem respaldo em campo pelo que fazemos. As coisas estão dando certo e não é por acaso ou por destino, mas porque trabalhamos muito. O grupo tem confiança no treinador de que as coisas vão dar certa. Se o grupo não confia, a coisa não anda", prosseguiu o goleiro.

Elogiado, Kleina destaca que sempre busca a vitória, como fez ao trocar o zagueiro Wellington pelo atacante Diogo, autor de cruzamento preciso para o gol de empate de Alan Kardec. "A troca foi ousada, ainda mais contra o Corinthians, mas é o sentimento de querer vencer. É a filosofia que estamos implementando e o sentimento do grupo que quer chegar ao topo. Se não der certo, preciso ter a responsabilidade de assumir", contou o técnico.

A pressão, contudo, ainda não começou. Diretoria e elenco sabem que a melhor campanha na primeira fase do Paulista pouco vale a partir das quartas de final e já descartam favoritismo. "Não estamos à frente de nenhum grande, por camisa todos são sempre iguais. Mas, hoje, o respeito ao Palmeiras voltou, isso é o mais importante", comemorou Brunoro.

"Formamos um grupo e um time em condições de disputar o título. Mas a fórmula do campeonato é muito traiçoeira, você pode fazer 45 pontos e tem como única vantagem o mando de campo", lembrou Fernando Prass.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.