Tamanho do texto

Desde que o holandês assumiu o cargo técnico, a equipe fez seis jogos, com três vitórias, um empate e duas derrotas

Seedorf orienta time do Milan na beira do campo
AP
Seedorf orienta time do Milan na beira do campo

Há um mês, Clarence Seedorf anunciou a aposentadoria como jogador, deixou o Botafogo e foi anunciado como novo treinador do Milan . Seis jogos depois, ainda não conseguiu fazer sua equipe se reerguer na temporada. Nesta quarta-feira, contra o Atlético de Madrid, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, o seu primeiro grande desafio à frente de um banco de reservas. Diante deste compromisso, o holandês explicou que deseja usar o período atual de transição para fazer do Milan  exemplo de futebol ofensivo.

"Não basta apenas vencer, mas também como se vence. Nossa ambição é usar essa fase de transição para construir um time forte, que possa ser competitivo a nível mundial", declarou Seedorf, em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira. "Adoro ver um time que ataca, que é criativo. Para mim, criatividade não é apenas um jogador que faz uma jogada individual, mas times como o Bayern de Munique. Nos últimos anos tem mostrado uma grande organização e um potencial ofensivo", acrescentou.

Desde que Seedorf assumiu o comando técnico do Milan, a equipe disputou seis jogos, com três vitórias, um empate e duas derrotas. O time segue na décima colocação do Campeonato Italiano e, neste momento, vê-se a 18 pontos da zona de classificação para a próxima Liga dos Campeões da Europa. Para recuperar o caminho do sucesso, a diretoria rossonera anunciou, neste meio de temporada, a contratação de reforços como Keisuke Honda, Adel Taraabt e Michael Essien. Todos para o meio de campo.

"Não gosto de times que ficam sempre na defesa e saem em contra-ataque. Isso pode ser eficaz e fazer com que se alcança a vitória. Mas, se você me perguntar, uma coisa que me entusiasma são equipes que marcam mais de um gol por jogo", revelou Seedorf, que, nesta quarta-feira, enfrentará um time conhecido por se defender como poucos, e contra-atacar com rara eficiência. O Atlético de Madrid se acertou sob o comando de Diego Simeone e tem um plano tático capaz de fazer inveja a muitos rivais.

O time de Madri é o atual terceiro colocado do Campeonato Espanhol com 60 pontos, mesmo número dos líderes, Barcelona e Real Madrid. Além disto, possui, com apenas 16 gols sofridos, a melhor defesa da competição nacional. Na Liga dos Campeões da Europa, a equipe colchonera teve a segunda melhor campanha da primeira fase e segue invicta. O Milan, por sua vez, apresentou desempenho mais irregular e só conseguiu duas vitórias em seis duelos. Nesta quarta-feira, os times se enfrentam às 16h45 (de Brasília), no San Siro, em Milan, pelo jogo de ida das oitavas de final.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.