Estreante no clássico diante do Palmeiras, meia tem atuação elogiada pelo técnico Mano Menezes

Costumeiramente criticado pelo técnico Muricy Ramalho por sua má forma física, o meia Jadson foi um dos jogadores do Corinthians que mais correram no empate por 1 a 1 com o Palmeiras, neste domingo, no Pacaembu. O jogador relacionou a boa atuação ao apoio que recebeu no seu novo clube.

Leia mais: Com gols de carrascos, Corinthians e Palmeiras ficam no empate

Jadson fez sua estreia pelo Corinthians no clássico diante do Palmeiras
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Jadson fez sua estreia pelo Corinthians no clássico diante do Palmeiras

"Quando você tem a confiança do grupo, da comissão técnica e da direção, as coisas podem fluir melhor", comemorou Jadson, destaque do Corinthians logo em sua primeira partida no ano. Vindo do São Paulo na troca pelo atacante Alexandre Pato, ele ainda não havia sido utilizado em 2014 justamente porque Muricy não o julgava em estado físico satisfatório.

Agora em alta, o meia já se sente em boa forma. "No momento, estou com 85% da minha capacidade. O que está faltando é ritmo de jogo. Quando pegar ritmo, vou ficar ainda melhor", vislumbrou.

O técnico Mano Menezes também enalteceu as condições de Jadson. Na véspera do clássico, o meia havia sido alvo de brincadeiras do goleiro Julio Cesar, que o acusou de não correr "nem 10 metros" no rachão. "Ai, ai, ai! Quem trouxe o Jadson, hein? Pelo amor de Deus!", gargalhou o piadista prata da casa, quarta opção para o gol atualmente.

"O Jadson tinha condição de correr um pouquinho mais do que aqueles 10 metros", ironizou Mano. "O Julio Cesar estava brincando. Mas um ex-atleta, hoje comentarista de rachão, resolveu dizer que o Jadson não se movimentava, que tinha sido uma péssima ideia vir para o Corinthians. Não foi. Ele vai provar dentro de campo que será o jogador que o nosso time precisa", acrescentou o treinador.

Elogiado pelo chefe por sua disposição, como há muito tempo não ocorria, Jadson só não estava mais satisfeito porque o Corinthians deixou escapar a vitória diante do Palmeiras. "Fiquei feliz pela boa atuação, mas triste pelo resultado. A nossa equipe merecia ganhar pelo que criou, tendo várias chances de gol. Mas estamos de parabéns pelo que fizemos", sorriu o ex-são-paulino.

Apoio da torcida

Jadson também ganhou o apoio da torcida presente no Pacaembu no clássico de domingo. Ele deu passes e lançamentos e também correu em campo. 

"Sempre joguei dessa forma, mas a torcida do Corinthians, empurrando o tempo todo, ajuda a acentuar. A gente tira coisas lá de dentro", disse Jadson, que deixou o gramado do estádio municipal ovacionado ao ser substituído por Renato Augusto. 

Com duas irmãs corintianas, uma delas fanática, Jadson já sabe bem como continuar a fazer média com o público de seu novo clube. "Sempre que tiver a chance, vou defender essa camisa com muito amor e muita garra. A torcida pode esperar isso de mim. Tenho a característica de me entregar, de me movimentar bastante. Tomara que eu possa ajudar o Corinthians assim", discursou.

O armador ainda mostrou que não conhece só o que a torcida corintiana aprecia dentro de campo. Também citou alguns jogadores que fizeram história no clube em sua posição. "Fico feliz por vestir a 10 do Corinthians, uma camisa de grande peso. Grandes jogadores já usaram o número, como Neto e Rivellino. A torcida pode ter certeza de que darei o meu melhor", avisou, de novo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.