Vitória por 2 a 0 foi a última da equipe atuando com os jogadores suplentes. Titulares vinham sendo poupados por conta da estreia botafoguense na Libertadores

No que deve ser a última atuação neste Campeonato Carioca, os reservas do Botafogo conquistaram sua primeira vitória na competição, a segunda do time. Com gols de Henrique e Bolatti, ambos de pênalti, os alvinegros bateram o Bonsucesso por 2 a 0, nesta quinta-feira, em Moça Bonita. Com o resultado, a equipe de General Severiano chegou a oito pontos e volta a sonhar com uma vaga nas semifinais. Já seu rival, segue com cinco, ameaçado pelo rebaixamento.

Henrique comemora gol do Botafogo diante do Bonsucesso
SATIRO SODRE/Gazeta Press
Henrique comemora gol do Botafogo diante do Bonsucesso


A partida foi fraca tecnicamente, principalmente no primeiro tempo, com raras chances de gol. Somente na etapa final, o Botafogo melhorou e conquistou a vitória em dois pênaltis. Henrique e Bolatti, que sofreram as penalidades, cobraram para consolidar os três pontos dos alvinegors na partida.

Na próxima rodada, o Botafogo terá pela frente o Duque de Caxias, no domingo, em Volta Redonda. Já o Bonsucesso enfrenta o Bangu, no mesmo dia, novamente em Moça Bonita.

O jogo

Sob forte calor, o Botafogo começou a partida disposto a acabar com a sequência negativa no Campeonato Carioca. No entanto, os alvinegros não conseguiam criar boas jogadas e paravam na retranca do Bonsucesso.

O panorama da partida seguia o mesmo, com o ritmo muito lento e sem chances de perigo. O Bonsucesso só arriscava em chutes de longe. Já o Botafogo tinha o domínio do confronto, mas não finalizavam próximo ao gol.

Somente aos 39 minutos, o Botafogo criou chance real de abrir o placar. Após cruzamento, a zaga do Bonsucesso cortou mal. A bola sobrou para Renato na entrada da área, mas o meia finalizou a direita da trave de Lopes.

Nos minutos finais, os alvinegros foram para cima e assustaram novamente aos 45 minutos, em chute de longe de Junior Cesar que parou em boa defesa de Lopes. Assim, o duelo foi para o intervalo sem gols em Moça Bonita.

No segundo tempo, o panorama da partida não mudou. O Botafogo teve boa chance aos cinco minutos, em chute de Ronny que foi por cima do travessão. No entanto, aos oito minutos, os alvinegros conseguiram, enfim, abrir o placar. Henrique sofreu pênalti de Luiz Otávio e o próprio atacante cobrou sem chance para Lopes.

O gol fez o Bonsucesso buscar o ataque, mas o Botafogo aproveitou os espaços para fazer o segundo aos 11 minutos, em outro pênalti. Dessa vez, Bolatti foi derrubado por Lopes e o próprio argentino cobrou com categoria.

Bolatti (à direita) é cumprimentado pelos jogadores do Botafogo, após marcar seu gol diante do Bonsucesso
SATIRO SODRE/Gazeta Press
Bolatti (à direita) é cumprimentado pelos jogadores do Botafogo, após marcar seu gol diante do Bonsucesso


Com a vantagem consolidada, o Botafogo diminuiu o ritmo e viu o Bonsucesso atacar mais. No entanto, o time do subúrbio carioca pouco incomodava a zaga alvinegra. Assim, os alvinegros tinham espaço e quase fizeram o terceiro aos 31 minutos, com Henrique, mas o atacante parou em grande defesa de Lopes.

Nos minutos finais, os alvinegros voltaram a ser melhores e desperdiçaram algumas oportunidades. O goleiro Lopes passou a trabalhar mais para impedir uma goleada. Assim, o Botafogo só esperou o apito final para confirmar os três pontos.

FICHA TÉCNICA -  BOTAFOGO 1 X 0 BONSUCESSO
Local:
Moça Bonita, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 13 de fevereiro de 2014 (Quinta-feira)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Ferreira Belota (RJ)
Assistentes: Andréa Marcelino de Sá (RJ) e André Smith Silvera (RJ)
Cartões amarelos: Daniel (Botafogo); Victor Hugo e Lopes (Bonsucesso)

GOLS
BOTAFOGO: Henrique, aos 8min do segundo tempo; Bolatti, aos 11min do segundo tempo

BOTAFOGO: Helton Leite, Alex, Dankler, André Bahia e Junior Cesar; Bolatti (Airton), Rodrigo Souto, Renato (Allano) e Daniel; Ronny (Gegê) e Henrique
Técnico:  Eduardo Húngaro

BONSUCESSO: Lopes, Victor Hugo, Luiz Otávio, Da Silva e Marlon (Rick); Alê Carioca, Allan, Yago Morais e Nill; Lipe (Somália) e Wilson (Renan)
Técnico: Ricardo Barreto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.