Atuais campeões estrearam com vitória na Libertadores, mas gol contra o Zamora, da Venezuela, só saiu no fim

O Atlético-MG não atuou bem, mas iniciou a busca pelo bicampeonato da Libertadores com vitória por 1 a 0 em cima dos venezuelanos do Zamora. Após a partida, os jogadores admitiram que o time encontrou dificuldades, mas frisaram a importância de somar três pontos jogando fora de casa.

Atlético-MG derrota Zamora na estreia da Libertadores, mas não convence

"Viemos aqui para buscar o resultado e respeitamos bastante a equipe deles, que era desconhecida. Não sabíamos a qualidade que eles tinham. Começamos de forma ideal, com os três pontos na caminhada rumo ao bicampeonato. Tivemos (dificuldades), mas já estão cobrando a gente com 20 dias de trabalho, e temos que acostumar com isso", disse o lateral Marcos Rocha.

Ronaldinho Gaúcho em lance da estreia do Atlético-MG na Libertadores 2014, contra o Zamora, da Venezuela
AP
Ronaldinho Gaúcho em lance da estreia do Atlético-MG na Libertadores 2014, contra o Zamora, da Venezuela

Já o atacante Diego Tardelli acredita que com a sequência de jogos o Atlético-MG vai voltar a se encontrar dentro de campo. O jogador lembra que, por se tratar de uma estreia, o nervosismo é natural, mas, assim como Marcos Rocha, destaca o triunfo fora de casa.

"Foi sofrido. Aos poucos, vamos nos encontrando dentro de campo e nos encaixando. Começo de competição é difícil. Uma estreia com o time um pouco nervoso, mas o importante foi uma vitória fora de casa que nos dá moral para chegar bem ao clássico", declarou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.