Rinaldo Martorelli se reuniu com a delegada Margareth Barreto, do Decradi, para formalizar o pedido de investigação do caso ocorrido no último sábado

Torcedores invadiram treino do Corinthians no CT Joaquim Grava na manhã do último sábado
Rodrigo Gazzanel/Futura Press
Torcedores invadiram treino do Corinthians no CT Joaquim Grava na manhã do último sábado

Depois do Corinthians entregar documentos e imagens da invasão ocorrida no CT Joaquim Grava à polícia, o Sindicato de Atletas de São Paulo (Sapesp) também cobrou as autoridades ao dar entrada ao pedido de inquérito do caso. O desejo foi formalizado nesta quarta-feira durante uma reunião entre Rinaldo Martorelli e a delegada titular do Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), Margareth Barreto. 

"Formalizamos o pedido de inquérito, agora precisamos que essa investigação seja feita e que os culpados por isso sofram as punições necessárias. Acredito que os atletas não merecem passar pelo o que passaram no CT do Corinthians e o que queremos é que essa violência acabe", disse Martorelli.

Martorelli compareceu à reunião acompanhado do advogado Washington Rodrigues e do diretor de relacionamento do Sapesp, Mauro Costa.

Nesta quarta-feira, o presidente do Corinthians, Mário Gobbi, também compareceu ao Decradi para apresentar imagens e documentos que poderão auxiliar a polícia na identificação dos vândalos que invadiram o CT Joaquim Grava, no último sábado. Durante o episódio, objetos foram roubados e jogadores foram ameaçados.

Foram entregues ao orgão os nomes dos funcionários e jogadores que foram vítimas de abusos, as filmagens do circuito interno de segurança do CT e fotografias dessas imagens. Gobbi também esteve no Ministério Público de São Paulo para audiência com o promotor Roberto Senise Lisboa, que pede a extinção da Gaviões da Fiel, torcida organizada do Corinthians.

*Com Gazeta Esportiva. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.