Tamanho do texto

Goleiro do São Paulo levantou a perna quando o meia do Palmeiras passou em sua frente em comemoração de gol

Logo após abrir o placar da vitória do Palmeiras sobre o São Paulo , Valdivia fez questão de passar em frente a Rogério Ceni, seu desafeto, sem olhar para o goleiro. O goleiro ergueu a perna quase derrubando o chileno e ainda deu um tranco com o ombro em Alan Kardec. Valdivia preferiu ignorar a cena e foi irônico ao comentar a reação do são-paulino.

Valdivia comemora gol do Palmeiras sobre o São paulo no Paulistão
Reginaldo Castro/Gazeta Press
Valdivia comemora gol do Palmeiras sobre o São paulo no Paulistão

"Não vi porque saí comemorando o gol. E o que ele fez não me interessa", disse o camisa 10, que chega a dar um salto no momento em que quase é atingido pelo pontapé, como se, na verdade, estivesse ciente do que ocorria. Antes, contudo, ele vibrou erguendo o punho fechado bem perto do rosto de Ceni.

De qualquer forma, o meio-campista abriu um sorriso diante das perguntas sobre o ocorrido. "Espero que ele não tenha tido a intenção de me acertar, mas não vi", afirmou, antes de adotar um tom irônico.

Ao ouvir um repórter que não viu a jogada apontar que seria improvável a tentativa de rasteira do camisa 01 tricolor, o riso do meia aumentou. "Claro, não acredito que um ídolo do futebol brasileiro tenha tentado me acertar. Como não vi, não posso falar", prosseguiu, feliz.

Gilson Kleina, por sua vez, não viu provocação nem tentativa de agressão de ninguém no lance. "O Valdivia, em momento algum, olhou para o Rogério Ceni. Ele está comemorando, estava muito feliz, e não vejo no gesto do Rogério se ele quis pegar ou não, só quis fazer uma cena. Não acredito, pelo quilate do Rogério, que quis provocar ou acertar um companheiro. Foi tudo superespontâneo e não teve provocação nenhuma", minimizou.

"O Palmeiras foi superior. O São Paulo é um time qualificado, com um técnico muito experiente. Mas sabíamos que eles ganharam por seis gols no jogo anterior e viriam com uma confiança a mais", comentou o meia."A diferença foi a aplicação tática que tivemos. Eles ficaram com a bola por mais tempo, mas em momento nenhum complicaram nosso goleiro", afirmou Valdivia.

O chileno apontou o empenho tático do Verdão como o diferencial no Choque-Rei no Pacaembu. Por isso, o camisa 10 alertou que a equipe precisa manter a postura no decorrer do campeonato.

"Claro que ganhar clássico dá uma moral a mais no grupo e na torcida. Mas não podemos parar só no jogo de hoje (domingo), temos de continuar mostrando isso. A aplicação tática foi incrível e, quando chegamos, fizemos os gols", acrescentou.

O triunfo assegurou a manutenção dos 100% de aproveitamento do Palmeiras no Estadual. O Verdão é o único clube do campeonato que ganhou todos os jogos que disputou.