Tamanho do texto

Para o treinador, o futebol apresentado por seus jogadores diante da Ponte Preta não chegou a ser desastroso

Mano Menezes: técnico orienta time do Corinthians contra a Ponte Preta
Marcos Bezerra/Futura Press
Mano Menezes: técnico orienta time do Corinthians contra a Ponte Preta

Na entrevista coletiva concedida após a derrota por 2 a 1 para a Ponte Preta, a terceira consecutiva do Corinthians , o técnico Mano Menezes falou mais sobre a invasão de torcedores ao CT Joaquim Grava no sábado do que sobre o jogo deste domingo. Ainda assim, tentou evitar usar o violento protesto como desculpa por outra atuação ruim de sua equipe.

"É óbvio que você não consegue fazer uma boa preparação depois de um episódio como esse. Ninguém - presidente, treinador e jogadores - queria jogar, porque o que aconteceu não deveria passar em branco. Mas, a partir do momento em que entendemos que deveríamos estar em campo, não podemos transferir para isso o que não conseguimos fazer pela terceira vez no Campeonato Paulista", disse Mano. "Não foi a preparação adequada, mas isso não é justificativa", acrescentou, quando questionado mais uma vez sobre o assunto.

Para o treinador, o futebol apresentado por seus jogadores diante da Ponte não chegou a ser desastroso. Em Campinas, os donos da casa aproveitaram as falhas de marcação e o abatimento do Corinthians para abrir o placar com o atacante Alemão, logo aos três minutos. O lateral esquerdo Uendel usou a cabeça para empatar no final do primeiro tempo, porém o direito Ferrugem recolocou o seu time em vantagem. Os zagueiros Gil e Paulo André ainda foram expulsos.

"Fizemos um primeiro tempo bom depois de empatar o jogo, mas tomamos novamente um gol aos três minutos na segunda parte. Aí, as coisas já não andaram", analisou Mano, sem poupar a arbitragem de críticas. "Quando você não está bem, todo o mundo que tirar uma casquinha, dar uma pisadinha. O árbitro não quis dar o segundo cartão amarelo para um jogador da Ponte, mas mostrou para o Paulo André. Tudo do adversário vira perigo de gol ou gol. Da nossa parte...", lamentou o treinador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.