Presidente Odílio Rodrigues se pronunciou sobre o episódio e chamou agressores de vândalos

Odílio Rodrigues foi hostilizado por
Flickr/Santos F.C.
Odílio Rodrigues foi hostilizado por "vândalos" após a vitória contra o Corinthians

Por meio de notal, o Santos se manifestou sobre o episodio de agressão envolvendo torcedores santistas e o presidente Odílio Rodrigues, na madrugada da última quarta-feira, logo após o clássico diante do Corinthians. O Comitê Gestor do Peixe descartou a participação de torcedores e associados no ato que definem como ‘vandalismo’

"Nem torcedores e nem sócios. Essas pessoas eram vândalos". Desta forma os dirigentes santistas definiram um pequeno grupo de pessoas que se manifestou com atos de violência, insultos e ofensas contra o presidente, Odílio Rodrigues, e alguns membros do Comitê Gestor.

A direção do Santos chegou a conclusão de que o ataque tenha sido tramado por grupos da oposição santista, lideradas por pessoas com intenções políticas, que já vem fazendo ameaças do Comitê de Gestão, há 4 meses. "Esse grupo vem pela internet e por meio de cartazes apócrifos, incitando a violência, ameaçando a integridade física e realizando ataques à honra dos membros do Comitê. Estamos certos de que a manifestação não guarda nenhuma relação com a entrevista que demos ontem e nem com a partida, porque há muitos meses isso já vem acontecendo", ressaltou o presidente.

O Santos está reunindo provas, pois câmeras do clube e de terceiros flagraram a ação dos agressores. O Comitê de Gestão decidiu que este assunto será tratado como caso de polícia.

Confira na íntegra a nota oficial do Santos:

"Nem torcedores e nem sócios. Essas pessoas eram vândalos". Desta forma o Comitê de Gestão do Santos FC definiu um pequeno grupo de pessoas que se manifestou com atos de violência, insultos e ofensas contra o presidente, Odílio Rodrigues, e alguns membros do comitê que o acompanhavam na saída do portão 16, da Vila Belmiro, nesta madrugada (30), após a partida entre Santos FC e Corinthians.

O que era para ser um momento de festa e de alegria por conta dos 5 a 1, acabou sendo um momento de tensão para todos nós", explicou o presidente. Na reunião semanal, na manhã desta quinta-feira, o Comitê de Gestão chegou a conclusão de que se trata de mais uma ação oportunista de um grupo de vândalos, lideradas por pessoas com intenções políticas, que já vem fazendo ataques aos membros do Comitê de Gestão, há 4 meses.

Esse grupo vem pela internet e por meio de cartazes apócrifos, incitando a violência, ameaçando a integridade física e realizando ataques à honra dos membros do Comitê. Estamos certos de que a manifestação não guarda nenhuma relação com a entrevista que demos ontem e nem com a partida, porque há muitos meses isso já vem acontecendo", desabafou o presidente.

O Santos FC está reunindo provas, pois câmeras do clube e de terceiros flagraram a ação dos agressores. O Comitê de Gestão decidiu que este assunto será tratado como caso de polícia.

Arouca celebra boa atuação no clássico e sonha com vaga na Copa 2014

Arouca foi um dos principais jogadores na vitória diante do Corinthians por 5 a 1. O rival paulista parece trazer sorte ao número cinco santista. Em 213 partidas com a camisa do Santos, o volante anotou "apenas" três gols, sendo dois desses contra o Timão, um na noite passada e o outro na final do Campeonato Paulista de 2011.

No clássico contra o Corinthians, Arouca participou diretamente de três dos cinco gols santistas na partida. "Felicidade em fazer dois gols contra o Corinthians. Procuro sempre me esforçar ao máximo, mas nem sempre é possível marcar os gols. Porém, mais do que o gol, fico feliz pelo desempenho da equipe no coletivo num todo", ressaltou o volante.

Após a partida, o treinador da equipe Oswaldo de Oliveira encheu o volante de elogios, inclusive dando uma nota 11 para Arouca. Ciente dos comentários do treinador, o número cinco agradece a confiança do comandante, mas também adota cautela. "Sempre bom receber elogios, pois a confiança e a auto-estima aumentam. O clima é o melhor possível, mas temos que colocar os pés no chão, porque o ano está apenas começando e esse foi o quarto jogo", afirmou.

O volante também comentou sobre seleção brasileira. Desde que Felipão assumiu o comando do Brasil, Arouca não foi mais convocado, diferente da época em que Mano Menezes era o treinador. "Todo jogador sonha em jogar pela Seleção. Eu tive oportunidade, mas tem que ser realista: é difícil. O Felipão tem o grupo praticamente fechado, mas vou continuar trabalhando", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.