Depois de ter sido rebaixado no último Brasileirão, time ainda não venceu neste Campeonato Carioca

Edmilson, atacante do Vasco
Gazeta Press
Edmilson, atacante do Vasco

Na partida da última quarta-feira, contra o Macaé, a torcida do Vasco voltou a vaiar o time após mais um tropeço no Campeonato Carioca. A impaciência vem crescendo desde a reta final do Brasileirão do ano passado, quando o clube não conseguiu se livrar do rebaixamento, mas o atacante Edmílson entende a reação.

"Em alguns momentos foi certo, cobram de quem tem condição. No momento de apoiar, apoiaram. No momento de cobrar, cobraram. Temos que assimilar isso, a cobrança é toda hora", afirma Edmílson. "Depois do jogo, lógico, com a cabeça quente, saem muitas coisas. Não tem jeito, mas é assim", comenta, referindo-se às declarações do meia Bernard, que após as vaias contra o Macaé afirmou que os torcedores "enchem o saco, mas é normal".

Já que o momento do Vasco não é dos melhores, o time precisa do apoio do torcedor para conseguir dar a volta por cima no Carioca. Ainda que o comportamento dos vascaínos não seja o esperado pelos jogadores, Edmílson garante que as vaias não atrapalham, mas reconhece que o desempenho da equipe está mesmo abaixo do ideal.

"Não nos abalaram. Vamos seguir adiante, cabeça diferente para esse jogo. Temos que ganhar porque fizemos só dois pontos em seis disputados. Não pode ser assim, tinham que ser seis. Mas a cabeça está boa, vamos trabalhar", planeja o atacante vascaíno.

O próximo compromisso do Vasco no estadual é contra o Friburguense, às 19h30 (de Brasília) deste domingo. O duelo será disputado em São Januário e vale pela terceira rodada do Campeonato Carioca.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.