Tamanho do texto

Argentino surpreendeu o santista Muricy Ramalho há um ano. Juntos, técnico espera boa temporada do meia

Cañete em amistoso contra a seleção dos EUA. Argentino ganhou moral com Muricy
Rubens Chiri/SãoPauloFC
Cañete em amistoso contra a seleção dos EUA. Argentino ganhou moral com Muricy

O meia-atacante Marcelo Cañete começou a ganhar a confiança de Muricy Ramalho em 3 de fevereiro do ano passado. Naquele dia, o argentino substituiu o volante Wellington em uma derrota do São Paulo por 3 a 1 sobre o Santos, então comandado pelo atual treinador tricolor, e deixou a Vila Belmiro elogiado.

Deixe seu comentário para a notícia

"Ele me chamou a atenção, dando um trabalho danado. Fiquei com aquela imagem na cabeça. Depois, o Cañete saiu do São Paulo e foi para a Portuguesa, de onde tive boas informações. Ele até não estava jogando no final do empréstimo, e sei lá o porquê, já que foi uma confusão danada. Mas o importante é que está me agradando aqui e fará parte do time", comentou Muricy.

São Paulo inicia Paulistão contra o Bragantino e tenta reconquistar a torcida

Antes de dar o seu aval para a permanência de Cañete, que sofreu com lesões no início de sua trajetória no Morumbi, o técnico teve uma conversa séria com o argentino. "Falei muito claramente como eu sou e como ele será cobrado. Disse que ele precisava agarrar a oportunidade. Você não pode sair nunca de um clube como o São Paulo, mas precisa dar retorno", avisou.

Por enquanto, Cañete tem dado retorno a Muricy. O argentino foi reserva nos dois amistosos da pré-temporada, contra Marília e Estados Unidos, mas entrou no segundo tempo e conseguiu se destacar - apesar de ter sido obrigado a atuar mais adiantado, em razão da carência ofensiva do elenco do São Paulo.

"O Cañete sabe que será cobrado e está me demonstrando tudo o que me falaram sobre ele: é um jogador muito técnico, inteligente. Agora, depende dele", concluiu Muricy Ramalho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.