Tamanho do texto

Emprestados para ganhar experiência em 2013, defensores voltam sem receio da cobrança da torcida neste ano

O zagueiro Wellington defendeu o ASA na Série B de 2013
Divulgação/Palmeiras
O zagueiro Wellington defendeu o ASA na Série B de 2013

Revelados na base do Palmeiras , os defensores Luiz Gustavo e Wellington tiveram uma temporada diferente em 2013. Os dois jogadores foram emprestados para ganharem experiência e retornam agora ao clube do Palestra Itália para o ano do centenário. A data comemorativa, no entanto, não é vista como um peso a mais para os garotos. A visão é otimista: a cobrança aumentará o estímulo para mostrar serviço aos torcedores alviverdes.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"É um ano importante, mas isso não influenciará muito. Temos de procurar dar o nosso melhor, independentemente de ser ano do centenário ou não. Trabalho sempre para trazer resultados para o Palmeiras", garantiu Luiz Gustavo, que teve o discurso endossado pelo companheiro.

"Mesmo se não fosse o ano do centenário, teríamos de focar muito no trabalho. Afinal de contas, a pressão seria a mesma. O Palmeiras é time grande e temos sempre de almejar vitórias e conquistas", acrescentou Wellington em entrevista ao site oficial do Palmeiras.

E mais: Em clima descontraído, reforços do Palmeiras fazem trabalho físico

Sem ser aproveitado pelo Palmeiras, Luiz Gustavo foi emprestado ao Vitória no segundo semestre de 2013. Zagueiro, mas também aproveitado na lateral direita, o garoto acredita que a passagem pelo futebol baiano foi importante, principalmente pela experiência adquirida longe do Palestra Itália.

"A ida ao Vitória foi muito importante para mim. Deu para pegar experiência, bagagem. Estou agora na pré-temporada no Palmeiras buscando meu espaço. Vou focar para ver se consigo um espaço no elenco", explicou Luiz Gustavo, que agora tenta brigar por uma vaga entre os comandados de Gilson Kleina.

Wellington, por sua vez, disputou o Campeonato Paulista pelo Atlético Sorocaba e terminou a temporada no ASA-AL. "Foi bom jogar, peguei um pouco mais de experiência, de ritmo de jogo. A Série B é um campeonato difícil. Estou de volta querendo meu espaço e, acima de tudo, ajudar o clube", projetou o zagueiro palmeirense.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.