Pelo menos nos treinamentos, o relacionamento entre os atletas do time tem sido positivo

Fazia tempo que os jogadores do São Paulo não ficavam tão próximos. O elenco liderado por Muricy Ramalho tem treinado diariamente em dois períodos no CT da Barra Funda após as férias de final de ano. A pré-temporada serve não apenas para fazer o time entrar em forma, mas também para resgatar alguns laços desfeitos em 2013.

Rodrigo Caio, jogador do São Paulo
Site oficial
Rodrigo Caio, jogador do São Paulo

"Não é que não havia nenhuma união no ano passado, mas faltou um pouco disso em certos momentos", acusou o zagueiro Rodrigo Caio, nesta quinta-feira. "Quando você começa a perder, dá uma abalada. As derrotas e eliminações abateram a nossa equipe. Agora, todo o mundo está mais junto. Devemos continuar unidos, independentemente do que acontecer", receitou.

Pelo menos nos treinamentos, o relacionamento entre os atletas do São Paulo tem sido positivo. São frequentes as brincadeiras durante as atividades físicas, mesmo nas mais puxadas. Entre os goleiros, Rogério Ceni se encarrega de distrair os novatos entre um e outro exercício - o motivo da diversão desta manhã, por exemplo, foi uma bola de tênis.

"Tudo está a nosso favor neste ano. Vamos pensar de uma forma diferente. Precisamos querer mais, e temos time para isso. Devemos acreditar em cada um de nós e formar uma família aqui dentro", pregou Rodrigo Caio.

Justificando o seu discurso, o zagueiro coletivizou as preocupações defensivas do São Paulo quando foi questionado a respeito. "A marcação começa lá na frente. As coisas ficam positivas quando estamos marcando juntos. Formar uma família é assim: todo o mundo corre e se ajuda", concluiu.

Zagueiro, volante ou lateral?

O versátil Rodrigo Caio já avisou que pretende se firmar no São Paulo como zagueiro. O novato, no entanto, pode facilmente mudar de opinião. Basta o técnico Muricy Ramalho desejar voltar a improvisá-lo.

"É claro que eu gostaria de jogar na minha posição de origem. Sou zagueiro, mas vou atuar de volante sempre que for necessário. Eu disse o que eu queria para mim no ano passado, mas essa é uma decisão do professor. O importante é estar em campo", priorizou.

Muricy, propenso a fazer a vontade de Rodrigo Caio, ainda não confirmou se o atleta será fixado na zaga em 2014. "Não conversei com o professor até agora", ele comentou, nesta quinta-feira.Foi como zagueiro que Rodrigo Caio ganhou mais espaço no São Paulo. Em um recente protesto da torcida, durante a Copa São Paulo de Juniores, ele chegou a ser poupado nos gritos contra o mau momento vivenciado pelo time em 2013.

"Fico feliz por não terem me xingado, mas triste pelos meus companheiros. Todos os jogadores entram em campo para dar o melhor. Infelizmente, não conseguimos mostrar tudo o que desejávamos no ano passado", disse Rodrigo Caio, embora satisfeito com a sua última temporada.

"Tive uma evolução muito grande desde que cheguei ao time profissional, procurando me adaptar e conversar com os jogadores que já tinham uma história no futebol. Passei um 2013 iluminado. Infelizmente, não foi um ano bom para o São Paulo. Espero que seja diferente em 2014, com títulos", vislumbrou o zagueiro.

Time se solta nos treinos com bola

Os jogadores do São Paulo já não usam as bolas do Campeonato Paulista apenas para exercícios de aquecimento durante a pré-temporada. Na manhã desta quinta-feira, sob sol intenso, o técnico Muricy Ramalho comandou uma atividade técnica no CT da Barra Funda e alegrou os seus comandados.

"Fizemos treinos com bola, e isso foi importante", comemorou o zagueiro Rafael Toloi, que usa as atividades para se soltar. "Os trabalhos são pegados, mas a gente precisava disso. Voltamos um pouco travados após as férias. Por isso, estou feliz com os resultados dos exercícios", acrescentou.

Muricy tem exigido bastante dos atletas do São Paulo nos treinamentos. Na quarta-feira, por exemplo, cobrou o meia Jadson, ainda fora de sua forma física ideal. Nesta quinta, preferiu incentivar o esforço do atacante Luis Fabiano com um grito recorrente: "Boa, Luis!".

Também porque o São Paulo terminou 2013 em baixa, ninguém ousa questionar a austeridade da comissão técnica durante a pré-temporada. "Desgasta, mas é assim mesmo", comentou Toloi. "Depois das férias, é importante que seja assim para a gente estar bem no restante do ano", concordou o também zagueiro Rodrigo Caio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.