Na apresentação, técnico não falou como irá mexer no time, mas deu a entender que ninguém está garantido

Mano Menezes conversou nesta manhã com elenco corintiano
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Mano Menezes conversou nesta manhã com elenco corintiano

Um dos motivos que levaram o Corinthians a substituir Tite por Mano Menezes foi a sensação de que o grupo se acomodou após uma sequência vitoriosa. Por isso, não chegou a surpreender que o novo técnico tenha prometido mudanças em sua apresentação no retorno ao clube do Parque São Jorge.

O que espera de Mano no comando do Corinthians? Comente com outros leitores

"Certamente, preciso propor algumas alterações. E essas alterações vão trazer reações. Algumas não tão boas, algumas boas. Algumas vão trazer naturalmente alguns atritos. Isso vai mexer com o ambiente interno, que era conduzido com outra filosofia. Mudam os conceitos, muda a maneira de avaliação", afirmou o gaúcho.

Leia também: Após recepção festiva a Mano, Corinthians começa a trabalhar sem Emerson

Segundo ele, haverá "modificações na sistematização tática". E é justamente por mexer com atletas que tinham uma segurança maior anteriormente que Mano espera reacender a motivação de um grupo que, em um ano, passou de campeão mundial a décimo colocado do Campeonato Brasileiro.

"Naturalmente, à medida que você é colocado como camisa 9, está feliz. Quando é colocado como 19, não está tão feliz. Haverá uma nova maneira de armar, novas preferências de sistema, mudarão alguns nomes. A maneira como essas reações acontecem é que mostram o rumo das decisões que temos de tomar", comentou.

Mano conversa com a imprensa na apresentação como técnico do Corinthians
Fernando Dantas/Gazeta Press
Mano conversa com a imprensa na apresentação como técnico do Corinthians

Apesar da promessa de alterações, o treinador insistiu reiteradas vezes ao negar que exista uma lista de dispensas. De acordo com o gaúcho, os contratos serão cumpridos e não há motivo para criar uma instabilidade maior. Ficar, porém, não significa manter o prestígio de outrora.

"Quero deixar claro que não vou criar atrito para mandar nenhum jogador embora. O que quero é gerar disputa interna, aquela disputa sadia que tira a acomodação natural do ser humano. Acontece com todos. Depois de grandes vitórias, é natural que aconteça. Agora, é trabalhar no dia a dia, estabelecer parâmetros de disputa. Entendendo as regras, a convivência é muito melhor", concluiu Mano.

Mano esquece seleção "nos próximos dez anos"

Apresentado como técnico do Corinthians, Mano Menezes voltou a ocupar o posto que deixou em 2010, quando assumiu a Seleção Brasileira. Repetir a trajetória não está nos planos do gaúcho, que espera retomar em preto e branco o sucesso que não alcançou em verde e amarelo.

"Não penso em Seleção Brasileira. Provavelmente, não vou pensar nos próximos dez anos. Depois de dez anos, talvez possamos falar de novo. Estou voltado para o trabalho no Corinthians, estou assumindo agora. Não costumamos fazer o mesmo erro duas vezes. Certamente, não vou sair daqui para a Seleção", afirmou.

Questionado sobre os motivos do arrependimento, Mano não entrou em detalhes sobre os problemas enfrentados na CBF e apontou um motivo simples pelo qual não chegou à Copa do Mundo como técnico do Brasil. "Porque o resultado final não foi bom. Futebol é resultado, bola na casinha."

Campeão do Campeonato Brasileiro da Série B, do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil com o Corinthians, o gaúcho evitou tratar o retorno como um retrocesso na carreira. Quando saiu, aplaudido pela Fiel, ele havia dito que voltaria se isso representasse "um passo à frente".

"Dirigir o Corinthians é sempre algo muito especial. Quem passa por aqui sabe. Estou muito contente de estar aqui novamente. Vou dar o melhor para que o Corinthians permaneça entre os primeiros, onde sempre tem que estar", disse Mano, orgulhoso pelo segundo chamado alvinegro.

"É raro em uma carreira tão disputada e concorrida quanto a nossa, chegar a um clube com a grandeza do Corinthians. Você receber esse convite duas vezes é mais raro ainda. É sinal de que a primeira passagem deixou algo forte na relação capaz de promover esse reencontro."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.