Presidente diz que aguarda posicionamento do Ministério Público e que ainda crê em reverter decisão do STJD

Presidente da Portuguesa até o dia 31 de dezembro, Manuel da Lupa promete ir à Justiça comum para recorrer da decisão do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) que tirou quatro pontos do clube e que teve por consequência o rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro.

"Não estamos rebaixados. Existe um inquérito aberto pelo Ministério Público do Consumidor e que vai avaliar se essa decisão feriu ou não o Estatuto do Torcedor. O Ministério Público com certeza não tem torcedor nosso. Então, se não feriu o Estatuto do Torcedor, tudo bem, disputaremos a Série B. Se feriu, vamos até o final", prometeu o dirigente.

Jorge Nicola: Nova diretoria da Portuguesa vai pedir punição a Da Lupa e diretor

O presidente ainda atacou o Fluminense, beneficiado com duas derrotas por unanimidade da Portuguesa em julgamentos do STJD. A perda de quatro pontos deixa a Lusa com 44 pontos, na 17ª posição que era do clube carioca após a última rodada da competição. O time carioca, ao contrário, segue na elite nacional.

"A Portuguesa entende que futebol se decide em campo, o resto é conversa. O Fluminense caiu e agora está querendo se manter, é injusto. A Portuguesa fez um sacrifício tremendo para ficar em 12º lugar. Todos do Fluminense choraram e agora comemoram uma vitória que não tem mérito. O mérito é da caneta", atacou.

Da Lupa demonstrou não ter nenhum temor com o apelo à Justiça comum. "O que manda no Brasil é a Constituição. A Fifa e a CBF não farão absolutamente nada. Tem Copa do Mundo no ano que vem, seria desagradável, mas não podemos abdicar do nosso direito", justificou o cartola, que deve se reunir com Ilídio Lico, presidente que assume em janeiro, para discutir a atuação do clube daqui em diante. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.