Cléber Xavier deixou clube com Tite dividindo a certeza de que atacante não correspondeu expectativa em torno dele

Cléber Xavier é auxiliar de Tite desde 2001
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Cléber Xavier é auxiliar de Tite desde 2001

Cléber Xavier, auxiliar do técnico Tite, deixou o Corinthians consciente de que a sua comissão não conseguiu fazer o atacante Alexandre Pato vingar no Parque São Jorge. Mas não perdeu as esperanças. Para o profissional, Mano Menezes tem condições de ajudar o reforço mais caro da história do clube a finalmente render o esperado.

Deixe seu comentário para a notícia

"Por problemas de adaptação, o Pato não desenvolveu o mesmo futebol apresentado no Internacional e no Milan. Ele teve dificuldades, atuando por dentro ou por fora. Só que é um bom menino, um grande jogador, que já trabalhou com o Mano na Seleção Brasileira. Tomara que o Mano faça o Pato jogar mais do que em 2013", comentou Cléber, em entrevista à Rádio Globo .

O assistente deixou claro que não guarda nenhum ressentimento do novo técnico do Corinthians. A diretoria do clube se desfez de Tite em meio a uma série de manifestações de apoio ao gaúcho campeão mundial e demorou a confirmar Mano Menezes como substituto.

"O Corinthians tem, no lugar do Tite, um grande treinador que deve conseguir recuperar o Pato. Não sei se isso vai acontecer, mas esperamos que aconteça. É um menino que deve se recuperar", voltou a enfatizar Cléber Xavier.Não fazer Pato produzir foi um dos pecados de Tite em sua última temporada como corintiano. Para o auxiliar, o erro não foi por falta de tentativas. "Trabalhamos de todas as maneiras com o Pato. Primeiro, nos níveis físicos e clinico, e conseguimos ter sucesso aí, já que teve poucas lesões, uma só na Libertadores. Sempre queremos que os jogadores rendam o máximo. Não deu com o Pato, mas não porque tenha faltado vontade", defendeu.

Cléber Xavier ainda não sabe qual será o seu futuro profissional. Fiel escudeiro de Tite, ele vai esperar o chefe tomar uma decisão em 2014. "Vamos estudar, sair do País, ver jogos, conversar com algumas pessoas, fazer cursos e crescer. Devemos deixar tudo rolar. O Tite tomou a decisão de não trabalhar em nenhum clube no Brasil até a Copa e vai manter isso", disse o auxiliar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.