Tamanho do texto

Presidente atleticano discorda que queda na semifinal tenha sido um vexame e projeta retorno em 2014

O presidente do Atlético-MG , Alexandre Kalil, não se mostra incomodado pela derrota do Galo na semifinal do Mundial de Clubes para o Raja Casablanca por 3 a 1. O dirigente defende que o revés faz parte do jogo e torce para que o time mineiro esteja de volta ao torneio no ano que vem, nem que seja para outra "tragédia".

Na despedida de Cuca, Atlético-MG disputa terceiro lugar do Mundial

"Esperamos dar outro vexame no ano que vem. Dar vexame em campeonato mundial nós queremos, sim", ironiza o presidente do Galo, que ainda alfineta o Cruzeiro relembrando a derrota do rival para o Estudiantes, em 2009. "Em Mundial de Clubes não tem tragédia. Tragédia é perder Libertadores em casa. Perder Braisleirão em casa também, como o Atlético já perdeu. Mas em Mundial não", afirma.

Questionado sobre os motivos da derrota sofrida para a equipe marroquina, Kalil desconversou. "Se eu soubesse o motivo da derrota, nunca seríamos derrotados. É futebol e o futebol é assim. Apesar da derrota e da dor da derrota, esse resultado não tira o meu orgulho de representar o Brasil nessa competição tão importante", exaltou o dirigente.

O Galo volta a campo a partir das 14h30 deste sábado, quando enfrenta o Guangzhou Evergrande na disputa pelo terceiro lugar do Mundial de Clubes. A partida será realizada no estádio de Marrakech, no Marrocos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.