Responsável por partida que ajuda famílias carentes, volante diz que vai resolver seu futuro na próxima semana

Pouco aproveitado no Santos, Assunção está próximo de fechar com o Figueirense
Gazeta Press
Pouco aproveitado no Santos, Assunção está próximo de fechar com o Figueirense

O Figueirense mantinha conversas adiantadas para contratar Marcos Assunção, mas o próprio volante interrompeu a negociação. O veterano, que não renovou com o Santos após pouco jogar neste ano, deu prioridade à partida beneficente que organiza há dez anos em Caieiras, cidade onde cresceu e mora na Grande São Paulo, e que ocorreu neste sábado.

Deixe seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Não vou mentir. Já conversei com o treinador e o diretor do Figueirense. Mas deixei para resolver na semana que vem porque a minha preocupação e o meu pensamento era nesse meu jogo", contou Assunção, revelando que já falou com o treinador Vinicius Eutrópio e o supervisor de futebol Rodrigo Pestana.

Marcos Assunção não descartou nem uma possível volta ao Palmeiras, mas deixou claro que nenhuma negociação está em sua cabeça no momento. O volante de 37 anos se recusa a pensar em 2014 enquanto não ajuda famílias carentes a terem alegria ainda em 2013, independentemente da sequência de sua carreira.

LEIA MAIS: Em jogo beneficente, Lucas Damião não fala sobre Santos

"Não planejei minha vida. No fim de 2013, ela será de jogos beneficentes. Já temos algumas propostas e vamos analisá-la depois, pensando em mim e na minha família. Mas deixa isso para depois", disse o veterano, que já sabe, ao menos, que não vai se aposentar, até porque tem sido procurado.

"Estão pintando algumas coisas, mas meu pensamento são esses jogos. Tem esse jogo que organizo, já joguei uns quatro e tenho mais uns dois para jogar. Minha felicidade é essa: com a minha presença, ajudar quem precisa", afirmou.

MERCADO: veja o entra e sai de atleta e os boatos que envolvem seu clube

"Quis fazer as coisas bem, convidar os meus amigos e garantir que a imprensa e as pessoas que trazem o quilo de alimento como ingresso estivessem aqui para termos um Natal e um Ano Novo melhor em termos de satisfação e consciência tranquila para as pessoas que não têm o que comer. Esse é o meu pensamento e a minha preocupação", reforçou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.