Meia, que deu camisa, chuteiras e caneleiras para jogadores do Raja Casablanca, não conseguiu explicar eliminação do Atlético-MG por 3 a 1 no Mundial

Ronaldinho Gaúcho foi provocado por atletas do Raja Casablanca antes da semifinal do Mundial de Clubes. Depois da surpreendente derrota do Atlético-MG por 3 a 1, o camisa 10 foi reverenciado pelos rivais. E, na hora de explicar a eliminação para o time marroquinho, não encontrou justificativas.

LEIA:  Com pênalti duvidoso, Atlético-MG repete Inter e é eliminado do Mundial

"Não tem o que falar, porque a expectativa era grande. Foi um ano maravilhoso, mas é duro aceitar. Agora é assimilar e ver o que nos resta", falou Ronaldinho na saída do gramado em Marrakesh.

"As duas equipes tiveram oportunidades, mas eles concluíram, ampliaram o resultado quando nós já estávamos no desespero", tentou explicar o meia.

O craque havia sido alvo das provocações do volante Mabide, que disse que ele não era o mesmo dos tempos de Barcelona. Respondeu na bola ao fazer, de falta, o gol de empate do Atlético-MG - no momento, o Raja vencia por 1 a 0 -, mas viu o mesmo Mabide fazer o terceiro dos marroquinos.

Passada a partida, porém, qualquer animosidade ficou para trás. Ronaldinho foi ovacionado pelos jogadores rivais. Em resposta, o meia deu a eles sua camisa, chuteiras e até caneleiras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.