Decisão se é Portuguesa ou Fluminense que ficará na Série A do Brasileirão em 2014 começa só às 17h desta segunda-feira. Fora dos tribunais, disputa já começou

O julgamento que vai decidir se será Portuguesa ou Fluminense que ficará na Série A do Brasileirão em 2014 começa só às 17h desta segunda-feira. Fora dos tribunais, no entanto, uma série de fatos no mínimo curiosos ocorridos ao longo da última semana mostra que a disputa já começou.

Auditor do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) revelando seu voto antecipadamente, foto do advogado da Lusa ao lado de Fred e até contradições nos discursos do procurador-geral Paulo Schmitt. Confira estas e outras polêmicas que marcam o “caso Hérverton”:

SAIBA MAIS:  Portuguesa ou Fluminense: STJD decide quem joga a Série B em 2014

Foto de Osvaldo Sestário Filho, advogado da Portuguesa, e Fred, atacante do Fluminense
Reprodução
Foto de Osvaldo Sestário Filho, advogado da Portuguesa, e Fred, atacante do Fluminense

Portuguesa e advogado trocam acusações

A Portuguesa afirmou que não estava ciente da suspensão de Héverton. De acordo com o clube, o advogado Osvaldo Sestário Filho, que o representou no julgamento do dia 6, não informou sobre a pena. O jurista negou. A equipe do Canindé, então, estuda entrar com uma ação contra Sestário e ameaça pedir até a quebra do sigilo telefônico do advogado para provar estar correta

Foto de advogado com Fred

Como o Fluminense pode ser beneficiado de uma punição à Lusa, surgiram boatos de uma possível armação contra o time paulista. A teoria da conspiração ganhou força depois que surgiu na internet a foto do advogado Osvaldo Sestário Filho e sua mulher posando com o atacante Fred, do clube carioca. A esposa do jurista seria torcedora da equipe.

LEIA TAMBÉM: Código da Fifa dá brecha para punição no ano seguinte e pode salvar Lusa

Auditor antecipa voto e é tirado do julgamento

Membro da Primeira Comissão Disciplinar do STJD, responsável por julgar o caso Héverton nesta segunda-feira, o auditor Washington Rodrigues de Oliveira usou o Facebook para antecipar seu voto. Ele deu a entender que escolheria a condenação à Portuguesa porque é “muito fácil ao clube colocar em campo um atleta punido alegando que desconhecia a punição”. O STJD o retirou do julgamento.

Auditor Washington Rodrigues de Oliveira usou o Facebook para antecipar seu voto e
Reprodução
Auditor Washington Rodrigues de Oliveira usou o Facebook para antecipar seu voto e "condenar" a Portuguesa

Paulo Schimitt muda discurso e se defende

Procurador-geral do STJD, Paulo Schimitt defende a condenação da Lusa e chegou a dizer que a absolvição seria a “falência” da entidade desportiva. Em 2010, porém, se recusou a julgar o Fluminense, que teria usado o meia Tartá de forma irregular, e falou que era imoral retirar do time um título obtido em campo. Questionado, usou o Facebook para se defender.

SAIBA MAIS: Diferentes interpretações marcam julgamento que pode salvar Flu

Paulo Schmitt usou o Facebook para desabafar contra acusações de que estaria promovendo virada de mesa
Reprodução
Paulo Schmitt usou o Facebook para desabafar contra acusações de que estaria promovendo virada de mesa

Flu entra como parte interessada

O Fluminense diz não ter nenhuma relação com a denúncia da irregularidade de Héverton, que pode tirar quatro pontos da Portuguesa e rebaixá-la no lugar dos cariocas. No entanto, o clube pediu para participar do julgamento desta segunda-feira no STJD como parte interessada. Assim, caso os paulistas sejam absolvidos, terão o direito de recorrer do resultado e alterá-lo no Pleno da entidade desportiva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.