Tamanho do texto

Técnico não evitou o rebaixamento no Brasileirão, mas levou a equipe ao vice-campeonato da Copa Sul-Americana

Jorginho deixou a Ponte Preta
Paulo Whitaker/Reuters
Jorginho deixou a Ponte Preta

Mesmo tendo comandado a Ponte Preta na campanha que culminou no vice-campeonato da Copa Sul-Americana, o treinador Jorginho não permanece no clube na próxima temporada. A saída aconteceu por divergências econômicas e a diretoria liberou o técnico no começo da tarde desta sexta-feira.

Comente esta notícia com outros torcedores

Jorginho não deve ser o único a deixar a Ponte até o começo da temporada que vem. O presidente Márcio Della Volpe quer fechar o elenco do próximo ano em no máximo 18 dias. "Com a final da Sul-Americana, deixamos de lado o planejamento para 2014. Agora não tem jeito. Precisamos sentar e discutir tudo. Afinal, 2014 já está aí. Não temos mais tempo a perder. Vamos sair da estaca zero", admite o dirigente.

"Sei que não conseguimos os dois objetivos maiores, o de permanecer na primeira divisão e o de ser campeão da Sul-Americana, mas sabemos que a Ponte não será mais a mesma. O clube alcançou um nível de reconhecimento e de respeito que todos hoje sabem quem é a Ponte Preta, até internacionalmente", celebra Joginho, que admite a frustração por não ter conquistado os objetivos. "Fica a tristeza de não ter conseguido, pelo menos, deixar o time na primeira divisão, o que nós gostaríamos muito", lamenta.

O técnico ainda explicou os motivos pelos quais não continua na Ponte Preta na próxima temporada. Segundo ele, a Macaca não seria capaz de manter os salários da comissão técnica no ano que vem, já que o clube disputará a Série B do Campeonato Brasileiro e, consequentemente, terá renda menor do que neste ano. "Infelizmente não conseguimos ter uma renovação. Nós nem chegamos a discutir valores porque sabemos da realidade do ano que vem. A diretoria tem uma responsabilidade muito grande em relação às questões financeiras e sabia que não seria possível manter a condição de contrato que tem comigo e minha comissão técnica", revelou.

Alguns atletas estão na mira de outros clubes e podem ser transferidos. Uendel e Rildo, caso sejam negociados, devem render uma boa renda aos cofres da Ponte Preta. Já Baraka e Roberto estão livres para negociar com outras equipes a partir do dia 31 de dezembro.

O elenco ganhou férias após voltar da final disputada contra o Lanús, na Argentina, e volta a trabalhar no início de janeiro.


* Com Gazeta Esportiva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.