Tamanho do texto

Presidente do Atlético-MG aprovou os adversários de sua equipe na fase de grupos do torneio de 2014

Alexandre Kalil recebe das mãos de Marco Polo Del Nero uma réplica da Copa Libertadores
AP/Cesar Olmedo
Alexandre Kalil recebe das mãos de Marco Polo Del Nero uma réplica da Copa Libertadores

Atual campeão da Libertadores, o Atlético-MG caiu em um grupo teoricamente mais fácil na edição que será realizada em 2014. Os mineiros terão pela frente o Nacional, do Paraguai, o venezuelano Zamora e o vencedor do confronto entre Morelia, do México e Santa Fe, da Colômbia. O presidente alvinegro, Alexandre Kalil, entende que o Atlético-MG se deu bem no sorteio da Libertadores, e evitou comentar o grupo do arquirrival Cruzeiro .

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Do Cruzeiro eu nem vi. Já o grupo do Atlético-MG é difícil você falar que é fácil. Eu nunca vi o Zamora jogar, eu nem sei como é o estádio deles. Estreia na Venezuela contra o time que é do irmão do Hugo Chaves, mas seremos bem recebidos. A fase de grupos deste ano será mais fácil que o ano passado", disse Kalil à Rádio Itatiaia.

Confiante, o mandatário atleticano entende que os times brasileiros devem avançar para as oitavas de final da Libertadores, e frisa que o Atlético-MG já tem a receita para buscar o bicampeonato. Segundo ele, o segredo é manter os pés no chão e manter o foco, como um bom mineiro.

E mais: Sorteio põe Grêmio em 'grupo da morte' na Libertadores; mineiros se dão bem

"Os brasileiros devem se classificar. O Atlético-MG tem que se preocupar em se classificar bem, porque sabemos a importância disso. Temos a receita, sabemos como ganhar a Libertadores e vamos repetir essa receita. Com os pés no chão, bem focadinho, bem mineiro, que temos muitas chances", declarou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.