Jogador lamentou a violência sofrida pelo companheiro, que foi atingido por uma cadeira arremessada por um membro de torcida organizada do clube

Derley lamenta episódio ocorrido com o companheiro de clube
AE
Derley lamenta episódio ocorrido com o companheiro de clube

Na noite desta terça-feira, o volante Gustavo Henrique, de 22 anos, foi vítima de uma situação lamentável, no CT Wilson Campos: quando retornava do culto evangélico, que promove no elenco, o jovem jogador foi agredido com uma cadeira por um membro da torcida organizada Fanáutico, mais conhecido como "Pistola". O motivo foi o fato do atleta trajar uma camiseta da cor rosa, entendida como proibida por parte dos fãs do Náutico .

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores 

Sobre o caso, Gustavo Henrique manteve silêncio. Porém, o experiente Derley, seu companheiro de clube, fez questão de comentar o incidente: "Fiquei sabendo do que aconteceu quando cheguei para treinar. Particularmente, não conversei com o Gustavo, para saber detalhes. É um absurdo, situação triste. Passamos por toda a competição muito mal, mas nunca fomos xingados nem agredidos na rua. Aí fazem isso com um garoto, ainda mais dentro do clube. Isso não poderia acontecer", lamentou, em entrevista ao jornal Diário de Pernambuco.

Confira a tabela de classificação do Brasileirão

Adiante, Derley expôs que o fato de utilizar a camisa rosa, mesmo sendo um motivo de brincadeiras por parte dos rivais, só acentua a banalidade do episódio: "Hoje em dia todo mundo usa camisa rosa. Eu mesmo uso normalmente, acho bonito. Minha esposa gosta e não tem problema algum. É lamentável acontecer isso. Mas tenho certeza que quem fez deve estar arrependido", completou.

O último desafio do Náutico na elite nacional será neste sábado, às 19h30, diante do Corinthians, na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE). O clube alvirrubro, lanterna da competição, conquistou apenas quatro vitórias em 37 jogos disputados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.