Tamanho do texto

Não é somente a Ponte Preta que não possui um título internacional na história. O zagueiro de 28 anos pode ser campeão pela primeira vez, agora na decisão contra o Lanús

Ferron foi um dos heróis do acesso em 2011
PontePress/CláudiaBorges
Ferron foi um dos heróis do acesso em 2011

O currículo de conquistas de Ferron ainda está em branco. A partida contra o Lanús, neste quarta-feira, às 21h50, no Pacaembu, é o primeiro passo para ele que busca o primeiro título na carreira aos 28 anos de idade -  tem apenas um Troféu do Interior do ano passado. Com motivação de sobra, o zagueiro quer esquecer a queda para Série B do Campeonato Brasileiro para escrever história na Ponte Preta .

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

Triste com o descenso no Nacional, Ferron encara a chance de levar a taça na Copa Sul-Americana como única. "A gente caiu de pé. São campeonatos diferentes e faremos de tudo para marcar a história da Ponte Preta e sermos campeões. Temos torcedores que são muito apaixonados e estão sempre nos incentivando. Temos noção de que podemos entrar para a história, mas a ficha ainda não caiu", disse ele em entrevista ao iG .

Confira a tabela de classificação da Copa Sul-Americana

O clima tranquilo entre os companheiros e sem "sem oba-obra" são méritos do técnico Jorginho. "Independente de quem está jogando, o Jorginho consegue fazer com que o grupo tenha motivação. Ele é fundamental dentro do grupo, porque mesmo aquele que não está jogando consegue se sentir importante. Ele foi responsável por nos passar tudo isso", ressaltou o defensor.

Porém, não foi somente o treinador que deu um "gás" no elenco da Ponte Preta. A guerra travada pela diretoria do São Paulo nos bastidores, na véspera das partidas da semifinal, também foi fundamental para que a vontade de vencer dos jogadores estivesse à flor da pele. "Se eu falar que não nos incentivou, eu estaria sendo hipócrita. Nós procuramos esquecer o que aconteceu fora de campo e provamos nosso valor nos gramados. Os bastidores nós deixamos com a diretoria e, acima de tudo, respeitamos o São Paulo", completou.

Agora, na primeira decisão, o pensamento de facilidade passa longe dos lados de Campinas. O fato do Lanús não ter nenhuma conquista da Copa Sul-Americana não favorece, afinal, quando trata-se de um clube argentino..."A gente sabe que é muito difícil, mas não impossível. Será um jogo muito complicado. Contra o Deportivo Pasto, nós vencemos dentro de casa e perdemos fora por 1 a 0, e ficamos com fama de azarões mesmo. Surpreendemos aos passar pelo Vélez (Sarsfield), ganhar por 3 a 1 do São Paulo e se classificar em Mogi Mirim. Qualquer jogo é difícil. Todos eles tem um sabor especial", discursou.

Com 48 jogos na temporada, Ferron tem contrato até o fim do ano com a Ponte Preta e ainda não sabe se continuará em 2014. Uma primeira conversa com a diretoria já foi inciada e agora as partes esperam o encerramento da competição para finalizar o negócio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.