Não foi a primeira confusão envolvendo duas facções que apoiam o time cruzeirense. Agora, PM encaminhará pedido de extinção ao Ministéri Público

Confusão entre torcidas do Cruzeiro acabou com a festa do time no Mineirão
Gazeta Press
Confusão entre torcidas do Cruzeiro acabou com a festa do time no Mineirão

A briga entre duas torcidas organizadas do Cruzeiro , que estragou a festa do título brasileiro, deverá custar caro para os vândalos. A Polícia Militar de Minas Gerais informou que vai pedir a extinção da Máfia Azul e também da Pavilhão Independente, organizadas que iniciaram a confusão no Mineirão logo após o jogo contra o Bahia .

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

De acordo com o coronel Antônio Carvalho as duas facções organizadas são reincidentes e tem provocados muitos prejuízos aos torcedores de bem e também ao Cruzeiro, que já perdeu mando de campo por conta de brigas das duas torcidas. A ideia é usar o boletim de ocorrência para pedir o fim das duas torcidas cruzeirenses.

E mais: Briga entre organizadas acaba com festa do Cruzeiro no Mineirão

"Estamos gerando o boletim de ocorrência que vai ser encaminhado ao Ministério Público. Já estão sendo punidos pelo que aconteceu no Independência. e o objetivo é que haja um rigor bem maior contra essa duas torcidas e eu diria que uma das grandes premissas que deveríamos trabalhar neste momento seria a dissolução, vamos fazer um pedido para que essas torcidas deixem de existir", disse o coronel Antônio Carvalho em entrevista à Rádio Itatiaia.

Veja ainda: Após briga de torcida, Cruzeiro não pedirá ingressos para clássico

O nível de agressividade das duas torcidas impressionou o coronel. "Usaram aquela estrutura que faz a sustentação de árvores, que é barra de eucalipto, e agrediram até pessoas que não tinham nada a ver com a confusão. Um de nossos policiais foi atingido, o que demonstra o nível de agressividade e violência que essas torcidas se digladiaram bem em frente ao trio elétrico", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.