Ídolo do Botafogo, ex-lateral-esquerdo conhecido como "Enciclopédia do Futebol" tinha 88 anos e estava internado desde o último domingo com insuficiências cardíaca e respiratória

O ex-jogador Nilton Santos, bicampeão com a seleção brasileira nas Copas do Mundo de 1958 e 1962, morreu nesta quarta-feira no Rio de Janeiro. Considerado o melhor lateral-esquerdo de todos os tempos e conhecido como "Enciclopédia do Futebol", ele tinha 88 anos e estava internado desde o último domingo por causa de insuficiências cardíaca e respiratória. O ex-atleta sofria do Mal de Alzheimer há cinco anos.

Deixe sua mensagem a respeito da morte de Nilton Santos

Santos estava residindo em uma clínica porque precisava de acompanhamento de médicos e enfermeiros. Ele deixava o local em poucos momentos e, na maioria das vezes, era para tratar alguma emergência em um hospital pronto-socorro.

Além do bicampeonato mundial, Nilton Santos esteve com a seleção brasileira nas Copas de 1950 e 1954. Ao todo, foram 84 jogos e três gols.

LEIA:  Nilton Santos: mais que um jogador, uma 'Enciclopédia do Futebol'

Nilton Santos e representantes de todos os títulos mundiais da seleção brasileira
Flickr/Botafogo
Nilton Santos e representantes de todos os títulos mundiais da seleção brasileira

Pelo Botafogo , único clube que defendeu nos 16 anos de sua carreira, o lateral-esquerdo foi campeão carioca quatro vezes (1948, 1957, 1961 e 1962) e conquistou dois Torneios Rio-São Paulo (1962 e 1964). Ele disputou 723 partidas e anotou 11 gols. É considerado, ao lado de Garrincha, um dos maiores ídolos da história do clube.

Em seu site oficial, a equipe alvinegra lamentou a morte e prestou uma homenagem com versos do jornalista Armando Nogueira, também botafoguense e falecido em 2010:

"Quanta majestade no trato de uma bola! O moço jamais fez um truque com a bola. Só fazia arte. Nilton não era um jogador de futebol, era uma exclamação. Tu em campo parecia tantos /E, no entanto - que encanto - eras um só: Nilton Santos", publicou o site botafoguense.

José Maria Marin, presidente da CBF, usou o site da entidade para lamentar a perda, além de decretar luto e pedir um minuto de silêncio antes dos jogos para o ex-jogador e os dois operários que morreram em acidente na Arena Corinthians , nesta quarta-feira.

"Tive o privilégio de ver o Nílton Santos jogar. Um dos maiores do mundo, de todo os tempos, mesmo sendo zagueiro e lateral. Jogava um futebol de elegância e técnica, tinha talento de sobra. O futebol brasileiro está de luto", resumiu Marin.

O velório será realizado a partir das 22h desta quarta-feira na sede social do Botafogo. Ainda não foram divulgadas informações sobre o enterro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.