Tamanho do texto

São Paulo perdeu para time de Campinas por 3 a 1 no jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana e precisa de triunfo por três gols para ir à decisão

A classificação da França para a Copa do Mundo é um dos exemplos nos quais o elenco do São Paulo se apoia para ainda confiar na vaga à final da Copa Sul-Americana. Na noite da última quarta-feira, o time do Morumbi perdeu em casa para a Ponte Preta por 3 a 1. Na terça, a seleção francesa reverteu desvantagem de 2 a 0 perante a Ucrânia.

Você acha que o São Paulo tem condições de reverter a vantagem da Ponte? Comente

"No futebol, tudo é possível. A França tinha que fazer dois gols, fez três e se classificou. Temos que tomar exemplos do futebol, também temos chance de nos classificar", disse, na tarde desta quinta, o meia Paulo Henrique Ganso, autor do único gol do São Paulo na partida de ida da semifinal do torneio continental.

Ao contrário da seleção treinada por Didier Deschamps, no entanto, o São Paulo fará o segundo confronto como visitante, em Mogi Mirim. E vencer por 2 a 0 não basta nem para levar a decisão para os pênaltis, uma vez que o gol marcado fora de casa é o primeiro critério de desempate. Uma condição que deixa o time de Campinas bem próximo da final.

"É uma vantagem excelente. Quem faz três gols fora de casa praticamente... É muito bom", opinou Ganso, ao quase deslizar no comentário. "Mas o São Paulo tem time para reverter essa situação, para reverter esse placar", continuou o camisa 8, ciente dos erros cometidos por sua equipe.

"As lições foram nossos erros de marcação, de onde resultaram os gols deles. Apesar de termos dado um pouco de falta de sorte, com dois gols contra... Mas vimos que a Ponte é uma equipe muito forte e está muito bem armada", comentou o jogador, considerando não apenas o gol do zagueiro Antônio Carlos como contra, mas também o último, após desvio no volante Wellington.

Na tarde desta quinta-feira, na reapresentação do elenco aos trabalhos, os titulares apenas correram em volta do gramado, em silêncio quase que absoluto. Como já havia ocorrido no vestiário do Morumbi, na noite anterior.

"Quando se perde, o clima sempre vai ser de tristeza, mas a gente não pode se deixar abater por uma partida, por um jogo. Tem que tentar reverter a situação", receitou Ganso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.