Tamanho do texto

Técnico contará com desfalques por suspensões e contusões e terá de modificar o time para o duelo diante do Corinthians

Adilson Batista, técnico do Vasco
Flickr/Vasco da Gama
Adilson Batista, técnico do Vasco

Quando assumiu o comando do Vasco após a demissão de Dorival Júnior, Adilson Baptista sabia que não teria vida fácil. Na luta contra o rebaixamento, o técnico estreou com vitória sobre o Coritiba, reagiu para empatar com o Santos, mas viu a situação piorar na última quarta-feira ao ser derrotado pelo Grêmio por 1 a 0.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

O revés em Porto Alegre, aliado à vitória surpreendente do Criciúma sobre o vice-líder Atlético-PR, foi catastrófico para o Cruz-maltino. O time carioca segue com apenas 37 pontos e voltou à zona de rebaixamento após respirar no final de semana. Agora, o Gigante da Colina não depende mais das próprias forças na luta contra a queda para a Série B.

Confira classificação, notícias, tabela de jogos e artilharia do Brasileirão

"Era um resultado que, em outras circunstâncias, seria considerado normal, mas para a situação em que estamos acaba complicando ainda mais. Temos que vencer o Corinthians em São Paulo e depois ganhar os dois jogos que teremos em casa", projetou o comandante vascaíno sobre os duelos com Cruzeiro e Náutico no Rio de Janeiro.

Antes de contar com o apoio da torcida novamente, porém, o Vasco visita o Corinthians no Pacaembu neste domingo. E para o duelo das 17 horas (de Brasília) na capital paulista, Adilson terá de quebrar a cabeça para armar a equipe titular. Embora conte com o retorno de Yotún na lateral esquerda, o treinador perdeu o meia Pedro Ken suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

"Não vou conseguir repetir uma formação por problemas de lesões, suspensões e aspectos físicos. Agora estou sem o Pedro Ken, mas terei a volta do Yotún. Precisamos olhar o lado físico do time também, mas vamos pensar ainda no que fazer, pois o Corinthians tem outro tipo de posicionamento", analisou.

No duelo com os gremistas, Adilson armou a equipe no esquema 3-5-2, com Alessandro; Jomar, Renato Silva e Cris; Fagner, Guiñazu, Abuda, Pedro Ken e Wendell; Marlone e Edmilson. Durante a partida, o zagueiro Jomar deu lugar ao meia-atacante Willie, Guiñazu foi trocado por Sandro Silva e André entrou na vaga de Edmilson.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.