Tamanho do texto

Diretor executivo José Carlos Brunoro admitiu ter ido para Argentina tentar a contratação de Marcelo Bielsa. Segundo ele, o Gilson Kleina encarou com "naturalidade" a situação

Brunoro disse que Kleina já sabia que a diretoria foi atrás de Bielsa
Divulgação/Palmeiras
Brunoro disse que Kleina já sabia que a diretoria foi atrás de Bielsa

Antes da vexatória atuação na derrota para o Paysandu, que adiou a conquista do título da Série B do Brasileiro, Paulo Nobre prometeu dar uma entrevista coletiva para explicar a busca do Palmeiras por um técnico para 2014. O presidente, porém, não apareceu. Coube ao diretor executivo José Carlos Brunoro informar que o clube queria Marcelo Bielsa, mas não tem dinheiro e, por isso, agora quer manter Gilson Kleina.

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

"Qualquer substituição de treinador teria que ser uma coisa muito alta, de fora do Brasil para ter impacto. Fui à Argentina e tive uma conversa bastante interessante com o Biela, mas, financeiramente, é difícil para qualquer clube brasileiro encarar um treinador desse nível. Esbarrou na questão financeira mesmo", disse Brunoro.

Confira a tabela de classificação da Série B do Campeonato Brasileiro

O dirigente dava entrevista na saída dos vestiários do Mangueirão que abrigaram o Palmeiras sem nenhum constrangimento. Kleina soube da procura por Bielsa, desempregado desde que saiu do Athletic Bilbao há cinco meses, na véspera da partida que poderia lhe garantir o título da Série B. O atual técnico do Palmeiras só foi procurado pela diretoria mais de duas semanas após a promessa de Nobre.

"O Kleina está sabendo que fomos falar com o Bielsa e encarou com muita naturalidade. O Gilson é uma pessoa muito tranquila quanto a isso, até porque sempre fomos muito claros", indicou Brunoro, apesar de o próprio Kleina ter mostrado tristeza diante da falta de procura da diretoria.

O dirigente, na verdade, quis dizer que o atual técnico deve enxergar como elogio a sua situação. "Dentro do Brasil, a permanência do Kleina é a melhor posição a tomar. Ser o primeiro da lista brasileiro é uma situação muito legal, um reconhecimento do trabalho dele. Só buscaríamos algo bem diferente e impactante."

Resta, agora, conversar com Kleina, que já subiu o time, mas ainda não foi campeão da Série B e tem contrato até 31 de dezembro. "Conversamos e agora vamos negociar, mas todos os detalhes ficarão restritos à diretoria. Temos que arranjar com ele a situação financeira, de carreira e tudo. Vamos anunciar quando estiver tudo resolvido", prosseguiu o "transparente" Brunoro.

Kleina não deve 'aliviar'

Apesar da diretoria não se importar em falar sobre a consulta feita a Marcelo Bielsa mesmo tendo Gilson Kleina no comando da equipe, o treinador promete não facilitar na renovação contratual. "Nossa conversa foi bem preliminar. Para discutir uma renovação, é necessário um conjunto de fatores. Os dois lados precisam ter critério e ser minuciosos pensando no melhor do Palmeiras. Vamos aos poucos", indicou Kleina, ressaltando diversas vezes que ainda estava de "cabeça quente" pela derrota para o Paysandu minutos antes.

Caso continue no comando da equipe, Kleina espera um aumento salarial. "A valorização tem que ser pelo trabalho. Não cheguei por chegar a essa grandeza que é o Palmeiras, foi com muito trabalho, entrega e dedicação, assim como nesses 15 meses em que estou aqui."

Embora abatido, o técnico tentou tirar nas suas palavras qualquer tristeza pela viagem de Brunoro à Argentina para negociar com Marcelo Bielsa. "É um direito da diretoria procurar o profissional que acham que têm que procurar. Essa diretoria é transparente e tem um norte. Tudo que foi realizado dentro do Palmeiras foi com muito profissionalismo e seriedade. O caminho a ser tomado é da mesma transparência. E vou respeitar qualquer decisão, como sempre disse", indicou.

Kleina diz focar no futuro dele e do Palmeiras. "Se fui preterido ou não, sempre temos que ver para frente. Com ou sem a minha sequência, o profissional que estiver aqui no ano que vem tem que conquistar e fazer uma linha forte por um futuro mais forte com menos erros."

A permanência dele, porém, ainda é incerta. "Não vou vender ilusão e falar que vou me apegar ao cargo. Se eu der continuidade e tudo correr bem, não vamos errar. Mas, agora, as minhas ideias e as da diretoria têm que bater. Viveremos um ano histórico e especial para o palmeirense, o trabalho com afinco e afinidade deve ser multiplicado por dois", projetou Kleina.





    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.