Decisivo nas conquistas desta temporada, jogador perdeu espaço no momento em que o time caiu de produção

Danilo, meia do Corinthians
Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Danilo, meia do Corinthians

Decisivo em tantas conquistas do Corinthians - duas delas neste ano, com gols e boas atuações nas decisões do Campeonato Paulista e da Recopa Sul-Americana -, Danilo é o retrato da brusca queda alvinegra desde julho. Ele, como o time, espera ressurgir nas rodadas derradeiras do Campeonato Brasileiro.

Comente esta notícia com outros torcedores

O meia foi titular pela última vez há exatamente um mês, no empate sem gols com o São Paulo. De lá para cá, apareceu apenas no fim de algumas partidas, exibindo dificuldades físicas e técnicas. Escalado para encarar o Coritiba nesta quarta por causa do desgaste de Douglas, diz estar pronto para mostrar seu melhor futebol.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

"Estou muito bem porque venho treinando forte. Faço isso para estar bem quando aparece a oportunidade. Futebol é feito de oportunidade. Se tivesse largado, não estaria pronto, mas apareceu a oportunidade com o desgaste de Douglas. Se não estivesse bem, como iria jogar? Mas estou bem e espero fazer um grande jogo", afirmou.

O atleta de 34 anos aposta em um melhor condicionamento físico para fazer o que não vinha conseguindo. Ele é o jogador do Corinthians que mais sente a sequência de jogos, e a tabela, com mais de três meses sem uma quarta-feira livre, não contribuiu. Mas Danilo perdeu a posição e pôde descansar.

Emerson é advertido pelo STJD e está escalado por Tite para pegar o Coritiba

"Futebol é muito de momento. Eu vinha de uma sequência muito grande, e o desgaste acaba complicando um pouco as coisas. Acabei ficando fora de alguns jogos e agora posso voltar. Espero fazer um grande jogo", repetiu o meio-campista.

Contrato na reta final
O desempenho de Danilo na reta final do Brasileiro pode ser decisivo para o seu futuro. O jogador tem contrato com o Corinthians até a metade da próxima temporada, quando terá completado 35 anos. Ele quer ficar, mas sabe que existe a possibilidade de acabar sua marcante passagem pelo clube, onde está desde 2010.

"Lógico que quero continuar, mas sei também que há uma diretoria, um clube. Tem que ter paciência, não depende de mim. Só tenho que continuar fazendo o meu trabalho", afirmou o meia, que, a partir de janeiro, poderá assinar um acordo com qualquer outra equipe.

"Ainda não apareceu nada, estamos jogando o Brasileiro ainda. A partir de janeiro, posso assinar, mas não teve nada. A gente ouve boato, mas nada concreto. Tenho ainda sete meses de concreto e o desejo de ficar", reiterou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.