Luxemburgo, Autuori e Mano são alguns do treinadores que tiveram um 2013 esquecível, enquanto Marcelo Oliveira, Vagner Mancini e outros da nova safra podem ser campeões

Os técnicos medalhões estão em baixa no futebol brasileiro. Antes apostas certas de bons trabalhos e títulos, nomes como Vanderlei Luxemburgo, Paulo Autuori e Mano Menezes vivem temporada para se esquecer. E, antes unanimidades, veem seus espaços ameaçados por Marcelo Oliveira, Vagner Mancini e Renato Gaúcho, alguns símbolos da nova geração de treinadores.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Um dos mais vitoriosos técnicos do Brasil, Luxemburgo não sabe o que conquistar um troféu de expressão há quase uma década. Já são nove anos desde que comandou o Santos na vitoriosa campanha do Brasileirão de 2004. De lá para cá, venceu cinco Estaduais, pouco para um tetracampeão nacional e ex-seleção brasileira.

Veja quem são os 'medalhões' em baixa e os principais expoentes da nova geração:

Veja também: Ameaçado de rebaixamento, Fluminense anuncia demissão de Luxemburgo

A temporada 2013 vem sendo a pior de toda a carreira do treinador. Depois de ser demitido do Grêmio pelas más campanha no Gaúcho (não esteve perto de brigar pelo título) e na Libertadores (eliminado nas oitavas de final para o modesto Santa Fé, da Colômbia), Luxa foi demitido também pelo Fluminense . E as estatísticas pelo clube carioca não foram nada boas: seis vitórias, nove empates e seis derrotas, com aproveitamento de 42% e briga contra a queda à Série B.

Leia mais: Com medalhões em baixa, coadjuvantes brilham e se valorizam no Brasileirão

Antecessor de Luxemburgo no Flu, Abel Braga é outro nome da velha geração que sofre em 2013. Depois de conquistar o Brasileirão no último ano, o técnico foi mandado embora com a equipe na zona de rebaixamento da atual edição (três triunfos e seis derrotas em nove rodadas). Na Libertadores, caiu nas quartas de final para o paraguaio Olimpia, vice-campeão continental.

Mano Menezes é outro medalhão em baixa. Afastado do futebol desde sua demissão da seleção brasileira no final de 2012, ele foi contratado a peso de ouro pelo Flamengo , que também lutava para fugir das últimas colocações no Brasileiro.

Mas a passagem na Gávea durou apenas três meses. Com cinco vitórias, seis empates, seis derrotas e o time apenas dois pontos acima do Z4, Mano pediu demissão por “não conseguir passar ao grupo aquilo que pensa de futebol”. Depois de sua saída, o Fla passou a ser dirigido pelo ex-auxiliar Jayme de Almeida. A equipe viu a ameaça de rebaixamento se extinguir e está na decisão da Copa do Brasil.

Já o caso de Paulo Autuori é o que mais impressiona. Desde que deixou o São Paulo após ser campeão mundial em 2005, o treinador não conseguiu permanecer mais de um ano à frente de um clube brasileiro. Por aqui, passou por Cruzeiro , em 2007, e Grêmio , em 2009. As exceções foram quanto trabalhou no Al-Rayyan, do Catar, na própria seleção catariana.

Em 2013, o técnico dirigiu Vasco e São Paulo . No primeiro teve rendimento fraco em 13 jogos: seis vitórias, dois empates e cinco derrotas. Um aproveitamento de 42% dos pontos disputados. Pediu demissão por causa de salários atrasados. Pela equipe paulista, que assumiu dois dias depois, foi pífio: três vitórias, quatro empates e dez derrotas em 17 partidas.

Tite é outro que vive temporada conturbada. As conquistas da Copa Libertadores e do Mundial de Clubes em 2012 deram tranquilidade ao técnico no Corinthians , mas a paciência da torcida acabou com as más atuações deste ano. Nem os títulos paulista e da Recopa, sobre o São Paulo, servem mais para acalmar a situação.

Os corintianos estão na 12ª colocação no Brasileirão e não têm mais chances de ir à próxima Libertadores. E Tite, rei dos empates no torneio nacional (foram 15 em 33 rodadas), não deverá ter seu contrato renovado.

Técnico Marcelo Oliveira será campeão brasileiro com o Cruzeiro em 2013
Washington Alves/VIPCOMM
Técnico Marcelo Oliveira será campeão brasileiro com o Cruzeiro em 2013

Nova geração em alta

Se os medalhões vêm sofrendo em 2013, o contrário pode ser dito da nova geração de treinadores. Depois de levar o Coritiba a duas finais de Copa do Brasil, Marcelo Oliveira finalmente será campeão. Seu Cruzeiro precisa de apenas mais uma vitória nos cinco jogos restantes para faturar o Brasileirão.

O vice-líder da competição é o Atlético-PR . No comando do time está Vagner Mancini, contratado quando a equipe estava na zona de rebaixamento. Se o título nacional está praticamente impossível, uma vaga na Libertadores é quase certa. E, se não for pelo Brasileiro, poderá ser pela Copa do Brasil – o time está na final contra o Flamengo.

Na terceira posição do campeonato nacional e também expoente da nova safra de “professores” está o Grêmio de Renato Gaúcho. O Goiás , sob comando de Enderson Moreira, é o quinto colocado.

Muricy Ramalho salvou o São Paulo da ameaça de rebaixamento e está na semifinal da Sul-Americana
Paulo Whitaker/Reuters
Muricy Ramalho salvou o São Paulo da ameaça de rebaixamento e está na semifinal da Sul-Americana

Muricy é exceção

Chamado para “apagar o incêndio” no São Paulo , Muricy Ramalho é a grande exceção no grupo dos principais técnicos do Brasil em 2013. Se por um lado é verdade que o treinador foi demitido do Santos ainda na segunda rodada do Brasileirão, por outro é inegável que ele salvou o clube do Morumbi da Série B.

Em 18 partidas desde que reassumiu o comando da equipe pela qual foi tricampeão nacional entre 2006 e 2008, Muricy soma 11 vitórias, três empates e três derrotas. Além de ver o risco do rebaixamento ficar para trás, o time está na semifinal da Copa Sul-Americana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.