Treinador do time baiano diz ter estudado o jogo dos paulistas diante do Vélez Sarsfield, pela Copa Sul-Americana, e resolveu explorar o desgaste físico da equipe

O Vitória segue na briga por uma vaga na Copa Libertadores da América. No último domingo, os rubro-negros bateram a Ponte Preta por 3 a 0 em Campinas e diminuíram para dois pontos a diferença para o G4. E a chave para o bom momento é apontada de maneira unânime na delegação: a obediência ao técnico Ney Franco.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Nossa equipe propôs um jogo forte. E a gente chegou nisso estudando bem a Ponte e sabendo que eles vinham desgastados do jogo na Argentina [vitória sobre o Vélez Sarsfield na Copa Sul-Americana ]. Estava muito quente e nossa equipe cumpriu a parte tática, técnica e também física para conseguir fazer o resultado", exaltou o treinador.

O atacante Marquinhos ressaltou a estratégia adotada pelo time baiano para suportar o forte calor no interior de São Paulo no final de semana e a fase de empolgação vivida pelo time paulista.

Confira a classificação atualizada, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

"No primeiro tempo, a gente sabia da responsabilidade do nosso time, até porque estava muito sol. O Ney pediu para que a gente construísse o resultado já no início do jogo, porque no segundo tempo ia ser ainda mais difícil", destacou o jogador, revelado nas categorias de base do time do Barradão.

* Com Gazeta Esportiva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.