Tamanho do texto

Atacante quase chorou após levar o cartão vermelho diante do Joinville e embora veja rigor do árbitro, treinador terá uma conversa com o jogador

Expulso pela terceira vez na Série B, Leandro preferiu sair do Pacaembu antes da delegação do Palmeiras após a vitória sobre o Joinville . Os relatos são de que o jogador quase chorou, e por isso não quis nem passar perto dos jornalistas. Mas o atacante que já disse ter humildade suficiente para mudar sem ouvir conselhos não escapará de uma nova bronca, independentemente da injustiça apontada em seu último cartão.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Atacante Leandro, do Palmeiras, lamenta sua expulsão na aprtida contra o Joinville, no Pacaembu
Leandro Martins/Futura Press
Atacante Leandro, do Palmeiras, lamenta sua expulsão na aprtida contra o Joinville, no Pacaembu


"Alguma coisa está errada, né? A conversa existe, mas o atleta também tem que perceber isso e se policiar neste aspecto", disse Fernando Prass, um dos líderes do elenco e bastante claro em relação à postura que o artilheiro do clube na temporada deve adotar.

Veja ainda: Em tom de adeus, Kleina diz não saber se Palmeiras oferecerá renovação

"Não deu tempo de conversar com ele, mas claro que vou conversar. Ele sabe que é diferente, pode fazer a diferença, mas tem que se cuidar e ter equilíbrio", concordou Kleina, em mais um discurso cobrando mais controle de Leandro em relação ao seu temperamento.

Nesse sábado, Leandro abriu o placar da vitória por 3 a 0 e, ainda no primeiro tempo, recebeu amarelo por reclamar de uma falta sua marcada. A advertência já o deixava fora do jogo de terça-feira, contra o Paysandu, porque ele entrou em campo pendurado com dois cartões. Na etapa final, porém, o camisa 38 estava de costas para um contra-ataque puxado pelo meia Wellington Bruno, do Joinville, e deixou o pé para derrubá-lo, no círculo central. Recebeu o segundo amarelo e foi expulso. "Minha reclamação é sobre o primeiro cartão, por reclamar. Não tem motivo e já conversamos", analisou Kleina.

Apesar das declarações do treinador, nem a torcida pareceu ver exagero no segundo amarelo para Leandro. No momento em que foi expulso, Leandro saiu de campo ouvindo muitos gritos de "burro" vindos das arquibancadas e numeradas do Pacaembu.

Diretoria procura Márcio Araújo para renovação

Enquanto a diretoria não procura Gilson Kleina nem para dizer que sua renovação não interessa, Márcio Araújo revelou uma conversa com o gerente de futebol Omar Feitosa para marcar, em breve, uma reunião para prorrogar seu contrato. Tudo feito sem o aval do atual técnico, e sendo mais um sinal de que ele não faz mais parte dos planos.

"Não estamos falando de planejamento", disse Kleina, que se surpreendeu com a informação passada pelo seu próprio comandado. Mas sem contestá-la. O treinador é um dos maiores admiradores do contestado volante, tanto que sempre o manteve entre os titulares.

Confira a classificação atualizada, artilharia e classificação da Série B

"Fico feliz. Sei que o Márcio tem um pouco de rejeição, mas é útil e muito profissional. Claro que às vezes aparecem os defeitos, mas ele recupera sem dar pontapé, não faz falta, faz transição como ninguém, é dinâmico e moderno. Se depender do meu apoio, do meu aval, eu daria", afirmou.O meio-campista está no final de seu quarto e último ano de contrato e já declarou publicamente o desejo de permanecer.

* Com Gazeta Esportiva


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.