Paulo André vê desinteresse da CBF e promete nova ação do Bom Senso FC

Por Gabriela Chabatura - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Um dos mentores do movimento "Bom Senso FC", zagueiro não acredita que a entidade que comanda o futebol brasileiro esteja disposta a grandes mudanças no calendário

Paulo André não escondeu o desapontamento ao falar da recente reunião entre CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e membros do Bom Senso FC, movimento que reivindica melhorias no futebol brasileiro. Segundo o zagueiro do Corinthians, houve um desinteresse da entidade em discutir o assunto e sequer argumentos foram apresentados.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Léo Pinheiro/Futura Press
O zagueiro Paulo André falou nesta terça-feira durante o II Fórum do Futebol Brasileiro


O novo encontro aconteceu na última segunda-feira, em São Paulo, com o intuito de discutir os cinco pontos, considerado pelo movimento, básicos para a reestruturação do futebol brasileiro. São eles: o calendário do futebol nacional, férias dos atletas, pré-temporada, fair play financeiro e representatividade nos conselhos técnicos.

"Não houve argumentação. Se houve, ela foi mínima. O desinteresse é preocupante", resumiu o atleta ao comentar sobre a reunião durante evento neste terça-feira, na capital paulista.

Veja também: 'O São Paulo fez um mal ao futebol brasileiro', diz Andrés sobre ingressos

O corintiano ainda prometeu novas medidas dos atletas: "Serão feitas manifestações do Bom Senso FC nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro. Com a reunião ontem (segunda-feira), o que nos choca é pensar em quem está zelando pelo futebol brasileiro. Quem está olhando? Quais são as soluções?. Queremos oferecer condições aos clubes menores e que eles possam fomentar o futebol brasileiro", indagou.

Veja ainda: Pelé diz que Bom Senso FC 'não vai mudar nada' no futebol brasileiro

A prioridade do Bom Senso FC é propor mudanças ao calendário do futebol brasileiro e fazê-lo valer também para clubes menores, que ficam boa parte da temporada sem disputar outra competição a não ser o Estadual. O pedido é para que a CBF respeite os jogos Fifa e diminua o número de 83 partidas para 73 por ano em 2015.

E mais: Marin descarta adaptação do calendário brasileiro ao europeu

"Sei da dificuldade política e do mecanismo engessado de hoje. Conheço a maneira de que é conduzido. Há sérias dificuldades de mudanças e há medo de retaliações por parte dos clubes, que são agentes fundamentais neste processo de transformação. Quando os clubes se unirem, haverá benefícios", discursou.

Leia ainda: CBF recebe jogadores, mas promete mudar calendário apenas em 2015

O pensamento de Paulo André foi reforçado pelo Bom Senso FC neste terça-feira. O grupo emitiu um nota oficial lamentando a falta de debate com a entidade máxima do futebol brasileiro. "Os jogadores lamentam o desinteresse da CBF sobre os seguintes pontos importantes que envolvem o futebol brasileiro: calendário para 2015, número de jogos dos clubes menores, datas FIFA concomitantes com jogos no país, causando prejuízo técnico nas competições, e fair play financeiro", escreveu.

Leia tudo sobre: Paulo AndréCBFBom Senso FC

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas