Tamanho do texto

Ao contrário de Luiz Felipe Scolari, dois dos maiores nomes do esporte brasileiro disseram entender recusa do atacante em defender seleção nacional

Bruno Senna, Pelé e Oscar Schmidt participaram de evento em homenagem aos 20 anos do legado de Ayrton Senna
Pedro Taveira/iG
Bruno Senna, Pelé e Oscar Schmidt participaram de evento em homenagem aos 20 anos do legado de Ayrton Senna

Dois dos maiores nomes da história do esporte brasileiro e mundial apoiaram a decisão do atacante Diego Costa em optar jogar pela seleção da Espanha de futebol. Para Pelé e Oscar Schmidt, o Brasil não deu valor o jogador quando pôde, ao contrário do que fizeram os espanhóis.

Você concorda com Pelé e Oscar sobre o assunto Diego Costa? Deixe seu comentário

“Ele foi valorizado e apoiado na Espanha. O Brasil não fez nada por ele. Ele está certíssimo. Ele tem que fazer pelo país que está dando as coisas a ele e esse país é a Espanha. O Brasil de repente convocou porque a Espanha convocou. É isso que eu vejo. Para mim, ele está certo”, afirmou Oscar.

Opinião semelhante, mas menos contundente, teve Pelé. O Rei do futebol admitiu a vontade de ver Diego Costa defendendo a seleção brasileira, mas disse respeitar a opinião do atleta em atuar pela Espanha.

“Acho que tem que respeitar a decisão dele. Como estou só no Brasil, não posso chegar a uma conclusão pelos reais motivos dele. Entretanto teve coragem. A gente torcia para que ele defendesse a seleção brasileira, mas, talvez, não fosse nem titular. Ele falou que não foi prestigiado aqui no Brasil, então a atitude foi correta. É compreensível”, falou Pelé.

A polêmica sobre Diego Costa estourou na semana passada, quando o atacante do Atlético de Madri recusou convocação do Brasil e anunciou desejo de jogar pela seleção espanhola. A decisão foi criticada por Luiz Felipe Scolari.

“Ele está dando as costas para um sonho de milhões, o de representar a nossa seleção pentacampeã em uma Copa do Mundo no Brasil", afirmou o treinador da seleção brasileira.

Costa já havia sido convocado por Felipão para dois amistosos. O atacante participou dos amistosos contra Itália e Rússia. Somando os dois jogos, ficou em campo por pouco mais de 30 minutos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.