Valdivia promete treinar nas férias e chegar sem atraso à pré-temporada

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Meia chileno teve início de 2013 conturbado por atraso e multa e pretende se comportar mais na próxima temporada

Marcello Zambrana/Gazeta Press
Valdivia, meia do Palmeiras

Valdivia começou 2013 sob críticas públicas de Gilson Kleina e da diretoria, ainda na gestão de Arnaldo Tirone, por ter se apresentado com quatro dias de atraso à pré-temporada. O meia voltou do Chile alegando ter treinando durante 20 dias de suas férias e até trouxe exames como prova, mas foi multado por não ter nem avisado ninguém do clube sobre sua iniciativa. Por isso, nas próximas férias, promete se adequar às regras do Palmeiras.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Pretendo curtir minhas férias porque não curti as últimas, fiquei um mês trabalhando. Vou viajar e me apresentar no mesmo dia que todos", disse o jogador, que adota tom irônico ao falar dos treinos particulares que realizou em Santiago. "Esse trabalho não fez diferença. Fui criticado quando voltei e isso foi levado em tom de brincadeira, então foi um trabalho que não ajudou em nada."

Confira classificação, notícias, tabela de jogos e artilharia da Série B

Na prática, o tratamento realmente não teve grande valia no primeiro semestre. O jogador mais caro do elenco ficou fora de quatro dos nove primeiros jogos no ano, por contusões geradas por pancada. Atuou em cinco partidas seguidas e, em 14 de março, teve uma contratura na coxa direita que o deixou 114 dias sem jogar.

Durante esse longo período sem ser escalado, o trabalho que deu resultado foi da comissão técnica do Palmeiras. No fim de abril, logo após o clube vetar sua participação em amistoso do Chile, Valdivia disse ter voltado a sentir dores na coxa direita, foi desfalques nos jogos em que o time foi eliminado do Paulista e na Copa do Brasil e, desde então, Gilson Kleina, seus auxiliares e os médicos tiveram paciência para liberá-lo."Muitas vezes, quando nos machucamos, não tratamos bem a lesão. Se você tem uma ruptura de ligamento, sabe quanto tempo tem que ficar parado. Se é ruptura de músculo, fica parado até cicatrizar e o normal é um mês. E eu não tinha esse tempo, ou tinha e não cicatrizava legal. Com a ajuda do Palmeiras e da seleção, consegui ter esse tempo e me recuperar bem", apontou o camisa 10.

A citação do meia sobre a sua seleção é um agradecimento. Quando se apresentou com atraso na pré-temporada, Valdivia prometeu que jogaria neste ano pensando em si mesmo e no Chile. Agora, com destaque no segundo semestre entre lesões menos prejudiciais, sente que vive uma boa temporada.

"Voltei bem à seleção e pude jogar bem na Série B, fazer gol. Dá para dizer que é o meu melhor ano e está sendo corado com a volta do Palmeiras à Série A e a chance de estar dentro do grupo que classificou o Chile para mais uma Copa do Mundo. É um final de ano bom e espero que continue assim", comentou.

Leia tudo sobre: valdiviapalmeirasigspsérie b

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas