Paulo André não vê 'desgraça' corintiana em 2013, mas admite decepção de Pato

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Zagueiro acha que temporada não foi tão ruim assim nesta temporada, porém reconhece que o badalado atacante deixou a desejar

Daniel Augusto/Agência Corinthians
Paulo André não acredita que o ano de 2013 foi totalmente perdido pelo Corinthians

Paulo André gosta muito de aparecer na sala de imprensa do CT do Parque Ecológico para mostrar sua visão sobre variados assuntos. Na entrevista concedida na manhã de segunda-feira, além de falar com brilho nos olhos do movimento Bom Senso FC, o zagueiro apresentou a sua opinião sobre a temporada do Corinthians, bem inferior às duas anteriores.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Acho que o primeiro semestre foi bom, apesar das críticas de que paramos em Tóquio-2012", afirmou o beque, confundindo o local onde o time conquistou o Mundial do ano passado, em Yokohama. "Fizemos dois jogos muito bons contra o Santos na final do Paulista, a mesma coisa contra o São Paulo, na Recopa. Vocês me desculpem, mas eu discordo da desgraça que estão apontando por aí, acho que a análise é malfeita."

No fim de outubro, os comandados de Tite se encontram em situação bem diferente da vivida um ano antes. Na mesma altura do calendário, em 2012, eles faziam boa campanha no segundo turno do Nacional, em preparação para o triunfo de dezembro no Japão. "A gente iniciava agora a reta final dos jogos que usamos para chegar 100% ao Mundial. A equipe jogava sozinha, era tudo automático, e a gente estava sem pressão. Neste ano, é o contrário. Há pressão, o sistema não está tão bem sincronizado, o adversário sabe muito bem o que a gente faz", comentou Paulo André, sem descartar uma arrancada rumo à Libertadores nas partidas derradeiras de 2013.

Veja também: Frustrado com a Libertadores, Renato Augusto ainda sonha em jogar o torneio

Se discorda das opiniões mais críticas em relação à temporada do Corinthians como um todo, Paulo André não nega o segundo semestre ruim. O zagueiro listou os motivos pelo mau Campeonato Brasileiro da equipe e colocou entre eles o desempenho decepcionante do atacante Alexandre Pato.

"O Pato era um grande reforço...", afirmou o beque, pausando para reformular o raciocínio e citar a média de gols do camisa 7, que colocou 16 bolas na rede em 52 partidas em preto e branco. "Quando jogou, acho que foi quem mais fez gol, mas se esperava publicamente mais dele."

VINÍCIUS COSTA/Preview.com/Gazeta Press
Alexandre Pato lamenta pênalti perdido na partida contra o Grêmio, pela Copa do Brasil


A atuação do reforço de R$ 40 milhões não foi o único item mencionado por Paulo André. A análise teve os problemas seguidos de lesão do elenco, a saída dos campeões mundiais Jorge Henrique, Paulinho e Chicão, as tentativas frustradas de ajuste tático feitas por Tite e uma queda natural após dois anos de conquistas importantes.

Especificamente em relação a Pato, o zagueiro procurou não colocar nas costas do atacante a eliminação da Copa do Brasil, apesar do que chamou de "pênalti que talvez não tenha sido o ideal". E pediu uma reação do colega após a batida desastrosa que colocou o Grêmio nas semifinais.

Confira a classificação atualizada, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

"Precisamos dele. O Guerrero está machucado, não temos o camisa 9. E o Pato é mundialmente conhecido por fazer gols e resolver problemas. Como diretor, eu o manteria aqui porque custou caro e precisa dar retorno. Ele precisa de confiança para retomar o caminho", comentou Paulo André.

* Com Gazeta Esportiva



Leia tudo sobre: Paulo AndréCorinthiansAlexandre patoBrasileirãoigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas