Mourinho nega provocação e ‘culpa’ filho por comemorar gol em banco rival

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Técnico do Chelsea jura que foi apenas comemorar o feito de Fernando Torres com o filho e que o culpado é clube, que ingresso para ele exatamente atrás do banco do Manchester City

Kirsty Wigglesworth/AP
José Mourinho, técnico do Chelsea

José Mourinho não deu tempo para a formação mal-entendidos. Após comemorar o gol anotado por Fernando Torres, que deu a vitória ao Chelsea por 2 a 1 sobre o Manchester City aos 46 minutos da segunda etapa, no último domingo, em frente ao banco de reservas rival, o português negou que tivesse ido provocar o time adversário e tratou de explicar o ocorrido.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

"O culpado é o Chelsea porque eu quis oferecer um ingresso da temporada ao meu filho, e eles ofereceram a ele um lugar que fica atrás do banco dos visitantes. Eles têm de dar ao meu filho entradas para lugares que ficam atrás do meu banco. Juro que fui comemorar com ele. Mas este é o drama do minuto final de um jogo", disse o treinador, em entrevista à SkySports.

Leia mais: Torres marca no fim e garante vitória do Chelsea sobre o Manchester City

No úlitmo domingo, Mourinho, conhecido por seu estilo ‘blasé’ e frio na (falta de) comemoração da maioria dos gols de seus times, saiu de seu banco de reservas, passou em frente ao comandante do Manchester City, Manuel Pellegrini, e invadiu a arquibancada para celebrar. Segundo a imprensa local, o treinador dos Citizens ficou tão irritado com a atitude do companheiro que sequer cumprimentou-o após a partida.

Confira a classificação e os próximos jogos do Campeonato Inglês

Para o português, porém, comemorações exaltadas fazem parte do seu jeito de ser. Para exemplificá-lo, ele lembrou a celebração depois de uma vitória na edição retrasada da Liga dos Campeões da Europa, quando ainda comandava o Real Madrid. O adversário era justamente o Manchester City.

"Naquela ocasião, eu me ajoelhei no campo e estraguei as calças. Depois, perdi no último minuto para o Bayern de Munique e foi como se alguém me tivesse apunhalado nas costas. Esta é a emoção do jogo. Se eles acreditam que o meu filho estava lá, tanto melhor. Se não acreditam, então pedirei desculpa, se eles acharem que eu fiz algo de errado", completou.

A vitória do Chelsea por 2 a 1 sobre o City foi muito importante para os Blues no Campeonato Inglês. Além de permanecer na segunda posição, o time de Stamford Bridge voltou a ficar a apenas dois pontos de distância do Arsenal, atual líder. Os Citizens, por outro lado, despencaram para o sexto posto, ficando ainda mais distantes da briga pela ponta.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas