Brunoro desiste de ‘quinto jogador’ do Grêmio e avalia renovações no Palmeiras

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Quando negociou Barcos, o time paulista esperava cinco atletas da equipe do Sul, mas recebeu apenas quatro. Marcelo Moreno estaria incluído no negócio, mas disse não

Gazeta Press
Negociação entre Palmeiras e Grêmio começou com transferência de Barcos

O Palmeiras não vai exigir do Grêmio mais um jogador por conta da transferência do argentino Hernán Barcos para o clube gaúcho. Inicialmente, o Verdão aguardava cinco atletas na negociação, mas recebeu apenas quatro e não exigirá uma compensação.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

"Não temos pendência, mas sim uma relação muito boa com o Grêmio. Optamos por não ter o quinto jogador, mas podemos ter as renovações de empréstimos se quisermos. Posso querer (ficar com) o Leandro ou não, de forma unilateral. Agora é que vamos ver", afirmou o diretor executivo do clube, José Carlos Brunoro, em participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta.

Leia também: Gestão do presidente Paulo Nobre gera controvérsias dentro do Palmeiras

Quando acertou a ida de Barcos para Porto Alegre, o Verdão se viu livre de dívidas com o jogador e também com o ex-clube do atacante, a LDU, além de ter recebido uma quantia. Para completar, Leandro, Vilson, Rondinelly e Léo Gago foram cedidos até o fim do ano pelo Tricolor gaúcho, que deveria repassar também Marcelo Moreno, mas o boliviano se recusou.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias da Série B

Com isso, havia a expectativa de que o Palmeiras exigisse outro atleta no lugar do atacante, mas isso nunca aconteceu. Dos quatro envolvidos no negócio, apenas Vilson não terá vínculo com o Grêmio a partir de 2014 e poderá negociar diretamente com a diretoria de Brunoro. Os outros três ainda estão emprestados, mas poderão ter o acordo prorrogado.

Brunoro explicou que avaliará cada caso a partir de agora, já que o Palmeiras confirmou no sábado, com o empate por 0 a 0 contra o São Caetano, seu retorno matemático à divisão de elite do futebol brasileiro.

"Podemos decidir agora, e não antes, porque não sabíamos se estaríamos na Série A ou na B. Hoje, o Palmeiras tem mais certeza do que precisa contratar", completou o dirigente, que começa a pensar também no futuro de Gilson Kleina, com vínculo apenas até dezembro.

Leia tudo sobre: palmeirasgrêmiojosé carlos brunorobarcos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas