No portão do local, a mensagem foi contra o presidente: "Paulo Nobre safado". O meia Valdivia também recebeu protesto, sendo chamado de "chinelinho"

O acesso confirmado à primeira divisão do futebol nacional não acalmou a torcida do Palmeiras. Pelo contrário. Depois da concretização da vaga, a equipe e a diretoria voltaram a sofrer críticas, inclusive com mensagens pichadas nos muros e portões do estádio do clube.

Com acesso na 32ª rodada, Palmeiras ainda pode bater aproveitamento do rival

A sede do Verdão amanheceu neste domingo com cobranças escritas contra direção e elenco. No portão do local, a mensagem foi contra o presidente: "Paulo Nobre safado". O meia Valdivia também recebeu protesto, sendo chamado de "chinelinho".

Na tarde de sábado, o elenco foi criticado mesmo depois do acesso, obtido com o empate por 0 a 0 contra o São Caetano, no Pacaembu. Assim que o árbitro encerrou a partida, torcedores das cadeiras cobertas criticaram Gilson Kleina, enquanto a principal uniformizada cantou que o acesso era apenas "obrigação".

O restante do estádio ainda se uniu para abafar quando a organizada gritou "time sem vergonha". Paulo Nobre tem relações rompidas com a principal torcida uniformizada do clube desde que o elenco foi agredido por integrantes no começo do ano, na Argentina. Depois das crítica de sábado, o mandatário disse que respeita a expressão da "minoria".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.